Vitória no clássico coloca Porto a acelerar 6%. Rivais afundam na bolsa

Mais perto do título de campeão depois da vitória de domingo, FC Porto acelerou mais de 6%. Já os rivais de Lisboa tiveram uma segunda-feira triste na bolsa portuguesa.

O FC Porto venceu este domingo no Estádio da Luz e a vitória permitiu aos azuis-e-brancos resgatar a liderança da Liga para o Benfica. Os investidores também vibraram com o resultado. As ações do clube dispararam na bolsa portuguesa. Já os rivais Benfica e Sporting tiveram uma má segunda-feira.

Os títulos da SAD portista valorizaram 6,56% para 0,65 euros. Os dragões regressaram ao topo da classificação com a vitória por 1-0 diante do Benfica, com um golo de Herrera aos 90 minutos. Os três pontos somados na Luz dão dois pontos de vantagem do FC Porto sobre os encarnados quando faltam quatro jornadas para o fim do campeonato. Tanto uma como outra equipa relativizaram o resultado dizendo que as contas ainda estão em aberto.

Para os adeptos encarnados, terá sido um início de semana menos agradável que o normal. Assim como para os acionistas. As ações da sociedade desportiva do Benfica fecharam em baixa de 7,33% para 1,39 euros — as ações estiveram a cair mais de 10% de manhã.

Mas um desempenho ainda mais negativo registou a SAD sportinguista. As ações leoninas tombaram 12,5% para 0,70 euros. A equipa principal até registou um triunfo, ainda que suado, diante do Belenenses, por 4-3, e encurtaram distâncias para o segundo lugar que dá acesso à pré-eliminatória da milionária Liga dos Campeões.

Contas feitas, o FC Porto lidera com 76 pontos, seguido dos rivais de Lisboa que somam 74 pontos e 71 pontos, respetivamente, quando já se completaram 30 jornadas da Liga Nos.

Esta quarta-feira, leões e portistas defrontam-se para decidir quem vai à final da Taça de Portugal. A segunda mão joga-se em Alvalade e o FC Porto leva vantagem de 1-0 do Estádio do Dragão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vitória no clássico coloca Porto a acelerar 6%. Rivais afundam na bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião