PLMJ apoia o GC Powerlist Ibéria do Legal 500

A PLMJ apoiou o GC Powerlist Ibéria. Está é a terceira edição da publicação internacional que reconheceu os 120 mais influentes e inovadores diretores jurídicos da Península Ibérica.

A PLMJ apoiou, pelo segundo ano consecutivo, o GC Powerlist Ibéria. Está é a terceira edição da publicação internacional que reconheceu os 120 melhores diretores jurídicos da península ibérica.

O diretório britânico The Legal 500 divulgou a lista das grandes empresas reconhecidas em Portugal: numa cerimónia que aconteceu ontem no restaurante Eleven em Lisboa, e que contou com a presença de mais de 50 advogados internos das principais empresas a atuar no mercado português.

A Ascendi Portugal; Galp Energia; EDP; Jerónimo Martins; Volkswagen Financial Services; Corticeira Amorim; Banco CTT e NovaBase, são algumas das empresas distinguidas, numa lista que contempla 13 indústrias distintas. Um ano que fica também marcado pelo facto de que, de entre os 40 advogados portugueses galardoados, mais de metade são mulheres (21 em 40).

Para Ricardo Oliveira, sócio membro do Conselho de Administração de PLMJ, que destacou que os 280 advogados PLMJ trabalham diariamente em parceria com equipas as de advogados in-house, e sabem o “quão essencial é a função de um general counsel e da sua equipa, na antecipação de problemas, na gestão de riscos e na identificação das soluções jurídicas mais robustas que melhor protegem os interesses da empresa”, acrescentando ainda que “sabemos que as vossas responsabilidades e desafios têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto da transformação digital a que assistimos, e que traz enormes vantagens, mas também novos riscos. Passou-se de um paradigma reativo para um paradigma proativo, e vocês, como nós, souberam dar a melhor resposta a esta mudança”.

O evento, para além de distinguir os advogados, proporcionou também um momento de networking e de discussão do papel das equipas jurídicas internas na construção do futuro das empresas.

O GC Powerlist Iberia 2018 é da autoria do The Legal 500, editora internacional que se dedica à pesquisa e análise do setor jurídico empresarial, tanto in-house como de prestadores externos onde se destacam as sociedades de advogados full service, como a PLMJ.

Os diretores jurídicos e equipas internas são submetidas a um processo criterioso de pesquisa por parte do The Legal 500 de forma a selecionar efetivamente os meritórios vencedores. São realizadas diferentes edições para vários países e que já chegaram, para além da Europa, ao México, Argentina, China e Hong Kong, Sudeste da Ásia, África, América Central e Índia.

Estes foram os nomes portugueses premiados:

 

 

Jerónimo Martins – Carlos Martins Ferreira
Galp Energia – Marta Cruz de Almeida
Galp Energia – Rui de Oliveira Neves
EDP – Teresa Pereira
Citibank Europe – Isabel Charraz
Aon Portugal – Pedro Filipe Santos
Novo Banco – Patrícia Fonseca
Banco CTT – Catarina Gonçalves Oliveira
Haitong Bank – Filipe Hasse Ferreira
Volkswagen Financial Services – Patrícia Mendes
Banco Santander Consumer Portugal – Nuno Moraes Bastos
Bankinter – Teresa Mota
MetLife – Vanessa Santos
Nestlé Portugal – Ana Patrícia Carvalho
SUMOL+COMPAL – Filipa Salazar Leite
Grupo Trofa Saúde – Pedro Ferraz
Luz Saúde – João Ferreira Rebelo
Novartis Farma Produtos Farmacêuticos – Leonor Pissarra
Grupo José de Mello Saúde – Rui Manuel da Costa Ramalhal
Merck Sharp & Dohme – Maria Cristina Ribeiro
Ascendi Portugal – Paulo Marinho
Klépierre – Ana Almeida
Gestmin – Ana Maria Ramos
Andrade Gutierrez – Rui Andrade
Novabase – Rita Branquinho Lobo
Samsung Electrónica Portuguesa – Carla de Abreu Lopes
Indra Sistemas – Luís Graça Rodrigues
Accenture – Paula Viegas
Martifer SGPS – Carlos Eduardo Gil
Corticeira Amorim – Pedro Magalhães
The Navigator Company – António Neto Alves
Cimpor – Ana Paula Reis
Altice Portugal – André Steiger Garção
Impresa – Nuno Conde
Huawei Technologies Portugal – Andreia Collard
ISS Facility Services – Diego Enjuto Jareno
Deutsche Bank Portugal – Rita Rendeiro
Banco de Portugal – Pedro Machado AstraZeneca Produtos Farmacêuticos – Maria João Maia FOX Networks Group Portugal – Tiago Da Mota

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PLMJ apoia o GC Powerlist Ibéria do Legal 500

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião