Trinta taxistas detidos este ano por especulação

  • ECO
  • 8 Junho 2018

Na prática, os taxistas detidos cobravam valores superiores aos que o taxímetro marcava ou cobravam indevidamente taxas extra por malas, distância ou até por a corrida ser feita de dia ou de noite. 

Desde o princípio do ano já foram detidos 30 taxistas no distrito de Lisboa por suspeita de crime de especulação. Os casos acontecem, na sua maioria, com cidadãos estrangeiros que têm como origem ou destino o aeroporto Humberto Delgado.

Os números a que a Renascença teve acesso mostram que, a este ritmo, o ano de 2018 vai ser de recordes no que diz respeito à cobrança indevida, uma vez que a PSP tem detido, só em Lisboa, 42 taxistas por ano.

Na prática, os taxistas detidos cobravam valores superiores aos que o taxímetro marcava ou cobravam indevidamente taxas extra por malas, distância ou até por a corrida ser feita de dia ou de noite.

Segundo os dados da PSP, nos últimos cinco anos foram presos 210 taxistas em Lisboa. O crime de especulação é punido com penas de prisão entre seis meses e três anos ou com uma multa de, no mínimo, 100 dias.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Trinta taxistas detidos este ano por especulação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião