António Ramalho alerta que plano de reestruturação ainda vai “custar tempo e dinheiro”

  • Rita Atalaia
  • 11 Junho 2018

O presidente do Novo Banco está satisfeito com o regresso do banco aos lucros. Mas admite que o trabalho não acabou, reconhecendo que o plano de reestruturação ainda vai "custar tempo e dinheiro".

O presidente do Novo Banco está satisfeito com o regresso do banco aos lucros. Mas admite que o trabalho não acabou. António Ramalho reconhece que o plano de reestruturação vai “custar tempo e dinheiro”, sublinhando que tem o foco virado para uma “recuperação sustentável” e não para “lucros imediatos”.

“Apesar do resultado positivo, o banco continuará a dar total prioridade ao seu plano de reestruturação”, afirma António Ramalho, depois de o Novo Banco ter regressado aos lucros nos primeiros três meses do ano. Registou um resultado positivo de 60,9 milhões de euros, em comparação com o prejuízo de 130,9 milhões no período homólogo.

“Este plano vai-nos custar tempo e dinheiro”, alerta o presidente do Novo Banco, uma vez que “queremos reduzir a nossa carteira de NPLs (crédito vencido), reduzir o custo do nosso passivo de mercado e reduzir os nossos ativos não estratégicos”. Entre março de 2017 e março de 2018, o crédito malparado caiu de 11.180 milhões de euros para 9.301 milhões de euros. Ou seja, uma queda de 16,8% entre os dois períodos.

Segundo o gestor, estes objetivos de longo prazo “ainda vão afetar a nossa rentabilidade por mais algum tempo”. É, por isso, necessário que os resultados sejam sustentáveis antes de se considerar que o Novo Banco conseguiu regressar à rentabilidade. “No Novo Banco, estamos focados na recuperação sustentável e não nos lucros imediatos”, afirma Ramalho.

“Francamente positivo é a contínua redução de custos e sinais de estabilização da margem bancária ainda com sinais de alguma redução da margem financeira e com aumento da receita de serviços”, remata o presidente da instituição financeira que foi vendida aos norte-americanos do Lone Star em outubro.

(Notícia atualizada às 18h46 com mais declarações)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

António Ramalho alerta que plano de reestruturação ainda vai “custar tempo e dinheiro”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião