Sonae valoriza quase 4%. Maré verde em Lisboa

Apesar de ter aberto em terreno negativo, Lisboa conseguiu rapidamente passar para o outro lado da linha. As ações da Sonae estão a puxar pela praça nacional.

Apesar de ainda não serem conhecidos os resultados registados no primeiro semestre pela Sonae, os investidores estão confiantes. Esta manhã, Lisboa abriu no vermelho, mas rapidamente inverteu a tendência, puxada pelos títulos da dona do Continente, que já valorizam quase 4%. O verde é, de resto, a cor que reina na praça bolsista nacional com apenas duas das cotadas nacionais em terreno negativo: a Sonae Capital e a EDP Renováveis.

Na última sessão da semana, o índice de referência nacional abriu em terreno negativo, recuando 0,60% para 5.559,42 pontos. A tendência foi, no entanto, invertida, estando o PSI-20 agora a valorizar 0,74% para 5634,33 pontos. Lá fora, o cenário é menos sorridente com o Stoxx 600 a cair 0,13% para 391,03%.

Por cá, do lado dos ganhos, destaque para as ações da Sonae, que estão a valorizar 3,56% para 0,988 euros. Os investidores estão animados, no dia em que se irão conhecer os resultados registados pela dona do Continente, no primeiro semestre do ano.

A dar gás a Lisboa, estão também os títulos da Mota Engil — que sobem 2,42% para 2,96 euros — e da Semapa — que avançam 1,46% para 20,85 euros. E por falar em papeleiras, a Altri anunciou, na quinta-feira, que os seus lucros cresceram 68,5% para 41,2 milhões de euros, no segundo trimestre de 2018. Esta manhã, as suas ações estão, por isso, a ter um desempenho positivo, tendo chegado a valorizar mais de 2%. Entretanto, o entusiasmo arrefeceu e estão agora a subir 0,33% para 8,99 euros.

Apesar da queda dos seus lucros (de 0,3% para 52,8 milhões), também a REN está a registar uma boa sessão: as suas ações estão a valorizar 1,21% para 2,50 euros. Por outro lado, o anúncio do disparo de 67,5% do resultado liquido do BCP para 150,6 milhões de euros não está a ter um impacto muito significativo, estando os títulos do banco a subir apenas 0,37% para 0,26 euros.

A pesar sobre Lisboa estão os títulos da Sonae Capital — que recuam 0,76% para 0,91 euros — e da EDP Renováveis — que desvalorizam 0,23% para 8,78 euros. As palavras de António Mexia — que disse que a EDP está a viver do crescimento nas renováveis e no Brasil — não foram suficientes para animar os investidores. Já o tombo de 16% dos lucros da gigante liderada pelo gestor mais bem pago do país não atirou os seus títulos para o vermelho: as ações da EDP estão a valorizar 0,35% para 3,47 euros.

(Notícia atualizada às 08h45).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae valoriza quase 4%. Maré verde em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião