Dívida pública baixa para 125,8% do PIB no segundo trimestre

Endividamento público deu um trambolhão no segundo trimestre, terminando o mês junho nos 125,8% do PIB. O Governo aponta para um rácio de 122,2% no final do ano.

A dívida pública baixou no segundo trimestre para 125,8% do Produto Interno Bruto (PIB), depois de ter atingido os 126,4% no trimestre anterior. A meta do Governo aponta para um endividamento público de 122,2% do PIB no final do ano.

Junho terminou com uma dívida pública bruta de mais de 246,6 mil milhões de euros, após um alívio de quase quatro mil milhões face ao mês anterior. Esta redução mensal deveu-se sobretudo ao reembolso de uma linha de obrigações a dez anos que venceu nesse mês no valor de 6,6 mil milhões de euros, conforme o ECO já tinha explicado. Contudo, faltava saber em concreto qual peso da dívida pública em função da riqueza produzida pelo país.

De acordo com o Boletim Estatístico divulgado esta quarta-feira pelo Banco de Portugal, a dívida pública atingiu os 125,8% do PIB em junho. Trata-se de uma queda acentuada face a março. Se compararmos com o final do ano passado, observa-se uma ligeira subida de 0,1 pontos — em dezembro, Portugal apresentava um rácio da dívida pública de 125,7% do PIB.

Olhando para a frente, a expectativa do Governo aponta para uma redução mais acentuada até final do ano. O Plano de Estabilidade apresentado pelo Executivo em abril passado prevê que a dívida pública atinja os 122,2% do PIB em dezembro.

Dois fatores ajudam a explicar a redução da dívida pública em função do PIB durante o segundo trimestre. Por um lado, o menor nível de endividamento em termos brutos, após a devolução dos tais 6,6 mil milhões aos investidores. Por outro, o crescimento da economia no mesmo período que ajudou a reforçar a queda. A primeira estimativa do Instituto Nacional de Estatística (INE) indica que o PIB cresceu 0,5% entre abril e junho face ao trimestre anterior. Em termos homólogos, a expansão económica foi 2,3%, dentro do intervalo esperado pelos economistas.

Dívida pública desce

Fonte: Banco de Portugal; *Estimativa do Governo

Endividamento da economia acompanha descida

Também do endividamento da economia baixou de forma significativa em junho, avançam ainda os dados do banco central. O total do endividamento do setor não financeiro atingiu os 721,142 mil milhões de euros naquele mês, uma redução de mais de 3,5 mil milhões de euros face ao recorde absoluto atingido em maio.

“No final do primeiro semestre de 2018, o endividamento do setor não financeiro situou-se em 721,1 mil milhões de euros, dos quais 318,0 mil milhões referentes ao setor público e 403,1 mil milhões ao setor privado”, detalha o Banco de Portugal.

Em função do PIB, o endividamento do setor não financeiro — inclui o setor público não financeiro, empresas e famílias — fechou o segundo trimestre nos 367,7%, abaixo dos 369,7% registados em março e dos 381,6% registados no final do ano passado.

(Notícia atualizada às 11h21)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dívida pública baixa para 125,8% do PIB no segundo trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião