Grupo Vila Galé vai abrir hotel na Coudelaria de Alter do Chão

  • Lusa
  • 27 Agosto 2018

O investimento de oito milhões é feito no âmbito de um concurso do programa Revive, uma iniciativa dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças. O projeto prevê a construção de um hotel temático.

O Grupo Vila Galé venceu o concurso do programa Revive relativo à Coudelaria de Alter do Chão (Portalegre), prevendo-se um investimento de oito milhões de euros na recuperação de uma parte do edificado, foi anunciado esta segunda-feira.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Secretaria de Estado do Turismo explica que o projeto vencedor prevê a construção de um “hotel temático de quatro estrelas, com aproximadamente 76 quartos”, distribuídos pela Casa de Campo, pelas antigas cavalariças, pelo edifício administrativo e pelas antigas pocilgas.

“A enoteca e o lagar serão também utilizados em eventos temáticos. O hotel vai dispor ainda de ‘spa’ e restaurante, com uma forte aposta na gastronomia regional”, lê-se no documento.

A Secretaria de Estado do Turismo considera que este é um projeto “âncora de dinamização turística e económica do interior”.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Alter do Chão, Francisco Reis, mostrou-se “emocionado” com este passo que foi dado em redor da coudelaria que é administrada pela Companhia das Lezírias. “É um investimento espetacular para a nossa região, vai trazer desenvolvimento e emprego, por isso estamos todos de parabéns”, disse.

O Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que pretende valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias zonas do país.

De acordo com o Governo, até ao momento foram lançados sete concursos ao abrigo do Programa Revive, sendo que o concurso relativo à Coudelaria de Alter é o quarto a ficar concluído.

A Secretaria de Estado do Turismo indica ainda no comunicado que, “em breve”, vão ser lançados os concursos de concessão da Casa de Marrocos (Idanha-a-Nova), do Convento de São Francisco (Portalegre) e do Convento de Santo António dos Capuchos (Leiria).

A coudelaria, que emprega cerca de 30 pessoas, passou a ser gerida, em março de 2007, pela Fundação Alter Real (FAR), após a extinção do Serviço Nacional Coudélico, no âmbito do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado.

A Coudelaria de Alter do Chão, fundada em 1748 por D. João V, desenvolve trabalhos de seleção e melhoramento de cavalos Lusitanos e possui uma unidade clínica dotada com todos os meios para o acompanhamento e tratamento médico dos animais, acolhendo, nas suas instalações, entre outras valências, o Laboratório de Genética Molecular.

Após a extinção da FAR, em agosto de 2013, a Companhia das Lezírias assumiu a gestão da coudelaria, cabendo a gestão do Laboratório de Genética Molecular à Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo Vila Galé vai abrir hotel na Coudelaria de Alter do Chão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião