Professores marcam nova greve para a primeira semana de outubro

Os professores vão avançar com nova greve marcada para a primeira semana de outubro contra a "intransigência" do Governo em não honrar o compromisso de contagem de todo o tempo de serviço.

Os professores vão avançar com nova greve para a primeira semana de outubro, anunciaram os sindicatos do setor. Protestam contra a “intransigência” do Governo em não honrar o compromisso de contagem de todo o tempo de serviço.

“Os professores e educadores exigem que o governo honre o compromisso que assumiu, cumpra a lei e respeite a Assembleia da República, ou seja, negoceie o prazo e o modo de recuperar todo o tempo de serviço que cumpriram”, dizem no anúncio do pré-aviso de greve que vai ser entregue na próxima sexta-feira.

“Até agora, porém, o governo, de forma intransigente, tem recusado contabilizar os 9 anos, 4 meses e 2 dias de atividade desenvolvida pelos docentes nos períodos de congelamento das carreiras e ameaça não só apagar mais de 6,5 anos (70%) desse tempo, como adiar para próximas legislaturas a concretização de qualquer medida que possa tomar, abrindo portas à liquidação da carreira docente”, indicam ainda.

São dez as organizações sindicais de docentes que convocam esta ação de protesto: ASPL, FENPROF, FNE, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPE, SIPPEB e SPLIU.

O pré-aviso de greve será entregue em mãos pelos dirigentes sindicais no Ministério da Educação pelas 11h00 de sexta-feira, o último dia da semana de plenários que os sindicatos estão a realizar em todo o país.

“Em todos eles foi aprovada uma tomada de posição, em que os professores ratificam a estratégia negocial e de luta apresentada pelas suas organizações sindicais”, adiantam as estruturas sindicais no comunicado divulgado esta quarta-feira.

Comentários ({{ total }})

Professores marcam nova greve para a primeira semana de outubro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião