GalpGate. Afinal, ex-secretários de Estado podem ser acusados

Depois de condenados a uma multa, TCIC não suspende o processo e os políticos envolvidos nas viagens ao Euro 2016 a convite da Galp podem agora ser acusados.

O Ministério Público pediu a suspensão provisório do processo dos três ex-secretários de Estado e o ex-assessor de António Costa, envolvidos no caso GalpGate — Rocha Andrade, João Vasconcelos, Jorge Costa Oliveira e Vitor Escária, respetivamente. Contudo, o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) decidiu rejeitar esse pedido, diz o Observador. Deverão ser acusados pelo DIAP de Lisboa.

É algo inédito, uma vez que os arguidos tinham sido já condenados a pagar apenas uma multa no valor de 4.000 euros, segundo avançou o jornal i esta segunda-feira, dia 10. A decisão esteve a cargo da juíza de instrução criminal Cláudia Pina e não é passível de ser recorrida, pelo que os autos devem prosseguir.

Em causa está a investigação do pagamento de viagens a estes políticos para assistir a jogos do Euro 2016, a convite da Galp, que terá investido mais de 150 mil euros nestes convites.

Entre os sete responsáveis da Galp envolvidos no caso está o administrador Carlos Costa Pina e dois presidentes da Câmara: Álvaro Beijinha, de Santiago do Cacém, e Nuno Mascarenhas, de Sines, que deverão ser constituídos arguidos com esta decisão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

GalpGate. Afinal, ex-secretários de Estado podem ser acusados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião