Fortuna dos mais ricos do mundo aumentou em 2,5 mil milhões de dólares por dia

O número de multimilionários quase duplicou desde a crise financeira. E a fortuna destes continua a crescer. Aumentou 900 mil milhões em 2018.

Em 2018, por cada dia que passou, a fortuna dos multimilionários aumentou em 2,5 mil milhões de dólares. Ficaram 900 mil milhões de dólares mais ricos, isto ao mesmo tempo que os mais pobres viram a sua riqueza encolher ainda mais, revelam os dados da Oxfam.

Num relatório realizado especialmente em antecipação do Fórum Económico Mundial, que se realiza em Davos, a Oxfam aponta para o crescimento da desigualdade no mundo, com as fortunas dos mais ricos a crescerem 12% num ano em que a dos restantes encolheu em 11%.

A título de exemplo, a fortuna do homem mais rico do mundo, o líder da Amazon, Jeff Bezos, cresceu para os 112 mil milhões de dólares em 2018. Cerca de 1% da sua riqueza é equivalente a todo o orçamento para a saúde da Etiópia, um país que tem 105 milhões de habitantes.

Atualmente, os 26 mais ricos do mundo detêm os mesmos bens do que 3,8 mil milhões de pessoas, revela o relatório da Oxfam, que tem por base os dados da Forbes e do Credit Suisse. Em 2017, contavam-se 43 pessoas cuja riqueza equivalia à de metade da população, e em 2016 eram 61.

A Oxfam salienta que “o número de multimilionários no globo quase duplicou desde a crise financeira”, sendo que “nasceu” um novo multimilionário a cada dois dias entre 2017 e 2018. Apesar disso, a fiscalidade aplicada sobre a fortuna destes multimilionários, mas também sobre as empresas, “está em mínimos de décadas”.

A organização indica que, se o 1% mais rico pagasse 0,5% de imposto extra sobre a riqueza, angariava-se mais dinheiro do que os custos de educar as 262 milhões de crianças que não estão inscritas na escola, e de fornecer assistência médica que salvaria a vida de 3,3 milhões de pessoas.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Fortuna dos mais ricos do mundo aumentou em 2,5 mil milhões de dólares por dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião