IGCP quer emitir até 4.000 milhões em dívida de curto prazo

Portugal vai continuar a fazer leilões regulares de dívida de longo prazo, até ao final de junho. Isto ao mesmo tempo que prevê financiar-se em até quatro mil milhões de euros com bilhetes do Tesouro.

Portugal tem estado bastante ativo no financiamento da dívida. Arrancou o ano com uma emissão sindicada a que se seguiram já vários leilões de obrigações do Tesouro, operações que vai continuar a realizar durante este segundo trimestre. Até junho, o IGCP fará também três leilões de títulos de curto prazo com os quais pretende obter até 4.000 milhões de euros.

“No próximo trimestre, o IGCP prevê emissões de OT através da combinação de sindicatos e leilões, sendo esperadas colocações de 1.000 a 1.250 milhões de euros por leilão“, refere a agência liderada por Cristina Casalinho, notando que estes leilões serão realizados à segunda ou quarta 4.ª feira de cada mês.

Mais concreto é, contudo, o calendário de financiamento através dos títulos de dívida de curto prazo, os bilhetes do Tesouro. Através destes, estão agendadas três leilões.

De acordo com o programa de financiamento revelado pelo IGCP, o primeiro dos três leilões a realizar este trimestre será já a 17 de abril, operação com a qual pretende obter entre 1.000 e 1.250 milhões de euros com títulos a três e 11 meses.

A juntar a este leilão haverá outros dois, sendo que no total a meta é a de obter entre 3.250 e os 4.000 mil milhões de euros através destes títulos de curto prazo.

“O IGCP acompanhará ativamente a evolução das condições de mercado, podendo introduzir ajustamentos às presentes linhas de atuação”, remata a agência em comunicado.

Comentários ({{ total }})

IGCP quer emitir até 4.000 milhões em dívida de curto prazo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião