Carros da Apple estão a recolher imagens em Portugal

Durante o mês de abril, os automóveis da Apple vão circular pela maioria dos distritos de Portugal continental a recolher imagens para atualizar a aplicação Maps. A empresa promete desfocar caras.

Viu um carro da Apple? A marca tem automóveis com câmaras a recolherem imagens nas estradas portuguesas.Wikimedia Commons

A Apple está a recolher imagens em vários distritos de Portugal continental para atualizar os mapas do iPhone. O automóvel equipado ao serviço do Apple Maps, equipado com câmaras, já foi avistado no norte do país e também em Lisboa, confirmou o ECO. Segundo a empresa, alguns dos dados recolhidos vão ser disponibilizados na aplicação para os fãs da marca em todo o mundo.

“A Apple está a efetuar levantamentos terrestres por todo o mundo para recolher dados que serão utilizados para melhorar a app Mapas da Apple. Alguns destes dados serão publicados em futuras atualizações desta app”, informa a empresa, numa nota divulgada no seu site. A fabricante do iPhone promete ainda “desfocar caras e matrículas”, para “proteger” a privacidade dos cidadãos.

Os distritos escolhidos pela Apple para a passagem do automóvel durante o mês de abril são os seguintes: Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu. A intenção é recolher novas imagens que a Apple ainda não tinha no arquivo, ou atualizar as imagens anteriores com informação nova.

Há precisamente um ano, a Google esteve a fazer um trabalho semelhante em Portugal, no âmbito das aplicações Google Maps e Street View, que são usados não só nos telemóveis Android como no computador e também no iPhone. Na altura, os automóveis da Google recolheram imagens em Braga, Porto, Aveiro, Lisboa, Nazaré, Évora, Albufeira e Lagos, como noticiou o ECO.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Carros da Apple estão a recolher imagens em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião