China Three Gorges planeia reavaliar oferta pela EDP

  • ECO
  • 13 Abril 2019

Os chineses estão a pensar reavaliar a oferta de 9,1 mil milhões de euros que fizeram pela EDP, preocupados com obstáculos políticos e com a valorização de mercado da energética.

A China Three Gorges está a ponderar reavaliar a oferta de 9,1 mil milhões de euros que fez pela EDP. De acordo com a Bloomberg (conteúdo em inglês), que cita fontes próximas do assunto, esta decisão surge devido a preocupações com obstáculos políticos que deverão inviabilizar o negócio e ainda valorização de mercado da empresa portuguesa.

O valor da contrapartida da oferta pública de aquisição (OPA) dos chineses à energética nacional é de 3,26 euros por ação, o que avalia o negócio em 9,1 mil milhões de euros. Mas a China Three Gorges deverá mudar os termos da operação. Em alternativa, está a avaliar transações mais pequenas, que deixem de fora os ativos da EDP nos Estados Unidos, que são os mais suscetíveis de provocar oposição regulatória.

Em cima da mesa está a possibilidade de investir em alguns ativos brasileiros da EDP ou de formar uma joint-venture no país, disseram as mesmas fontes. Esta hipótese já tinha sido levantada há algumas semanas. As opções estão a ser estudadas, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão.

Esta reavaliação dos méritos da OPA acontece depois de uma mudança de liderança na China Three Gorges, adianta ainda a Bloomberg, confirmando uma notícia avançada pelo ECO em setembro. E surge numa altura em que aumenta o escrutínio político e regulatório do investimento chinês na Europa e no mercado norte-americano. As tensões à volta da guerra comercial também terão abalado todo o processo da OPA. Contactadas pela agência de notícias, ambas as empresas recusaram fazer comentários.

Esta sexta-feira, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) fez um ultimato aos chineses, esclarecendo que, se os acionistas votarem na assembleia geral para manterem a atual limitação de 25% nos direitos de voto independentemente da sua participação, não se verifica uma das condições necessárias — desblindagem dos estatutos — e a oferta é extinta. Se acontecer o contrário, o acionista chinês tem 45 dias para avançar com as restantes condições.

As ações da EDP somaram quase 2% esta sexta-feira para os 3,48 euros, conferindo uma avaliação bolsista de 12,7 mil milhões de euros. A elétrica está atualmente a cotar 6,7% acima da contrapartida chinesa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China Three Gorges planeia reavaliar oferta pela EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião