Taxistas lançam Izzy Move, uma aplicação concorrente da Uber. Não tem tarifas dinâmicas

A Antral desenvolveu uma app para concorrer com a Uber. Vai estar disponível em todo o país e conta já com cerca de 2.000 táxis, sem tarifas dinâmicas e com pagamentos pelo telemóvel.

O setor do táxi vai lançar na terça-feira uma aplicação para smartphone que promete concorrer com a Uber e não tem tarifas dinâmicas. Trata-se de um projeto da Antral, associação do setor que é liderada por Florêncio de Almeida, um dos protagonistas do braço de ferro entre taxistas e plataformas eletrónicas, confirmou o ECO junto do próprio.

"É uma plataforma de táxi do género da Uber.”

Henrique Santos

Diretor da Izzy Move

A aplicação chama-se Izzy Move e vai estar disponível em todo o país. Promete arrancar com cerca de 2.000 táxis e trazer dinâmica ao setor, permitindo aos clientes pagarem as viagens como quiserem. Seja com cartão bancário ou com numerário, ou mesmo através do telemóvel, explicou o diretor da empresa, Henrique Santos.

“É uma plataforma de táxi do género da Uber”, disse, em conversa com o ECO. A diferença está na “honestidade” dos preços praticados, segundo o próprio. Diz que, uma vez que os preços dos táxis são tabelados por lei e o setor está impedido de praticar tarifas dinâmicas, como faz a Uber, o cliente vai saber que está a pagar um preço “justo”. A aplicação também faz uma estimativa do custo da viagem, que pode variar no final.

Segundo Florêncio de Almeida, presidente da Antral, pelo menos uma dezena de centrais de rádio de táxis já se associou a este projeto. A app está a ser desenvolvida “há quatro anos” e, de acordo com Henrique Santos, será apresentada na próxima terça-feira, 23 de abril. Espera-se a presença do secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, ou possivelmente do ministro da tutela, João Pedro Matos Fernandes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Taxistas lançam Izzy Move, uma aplicação concorrente da Uber. Não tem tarifas dinâmicas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião