Amazon lança serviço gratuito de música para dispositivos Alexa

A Amazon anunciou o lançamento de um serviço de música gratuito para utilizadores de dispositivos Alexa, como o Echo e Echo Dot. Quer concorrer com o Google Home, Apple Music e Spotify.

A Amazon anunciou o lançamento de uma plataforma de música para concorrer com o Spotify e o Apple Music. A diferença é que o novo serviço da gigante fundada por Jeff Bezos é gratuito para todos os utilizadores que tenham dispositivos Alexa, o assistente virtual que a marca desenvolveu e que tem conquistado cada vez mais lares, sobretudo nos EUA e no Reino Unido.

O facto de o serviço não ser pago não significa que a empresa espere perder dinheiro com o licenciamento das músicas. A Amazon quer apostar na publicidade para rentabilizar o produto, ao mesmo tempo que espera um incremento nas receitas com o aumento da venda de dispositivos Alexa, como é o caso das colunas inteligentes Echo e Echo Dot.

Os suecos do Spotify foram os primeiros a testar um serviço de streaming de música gratuito. A plataforma, lançada em setembro de 2008, mostrou que um modelo de negócio deste género é possível. Agora, a Amazon pretende seguir as pegadas, apostando no controlo por voz e nas colunas inteligentes como fatores diferenciadores.

Todos os utilizadores com dispositivos com o assistente Alexa terão acesso ao novo serviço, mesmo os que não subscrevem o programa de fidelização Amazon Prime. Estes últimos, no entanto, já têm acesso a um serviço de música mais limitado, com a empresa a disponibilizar outras opções mais robustas através do pagamento de uma mensalidade, como explica a Bloomberg (acesso pago).

A Amazon não será a primeira gigante a juntar numa novidade deste género com a nova tendência dos assistentes virtuais. Na semana passada, a Google anunciou o lançamento de uma versão gratuita do serviço YouTube Music para os utilizadores de dispositivos Google Home, assente nas receitas geradas com a publicidade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Amazon lança serviço gratuito de música para dispositivos Alexa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião