Selina fecha ronda de 100 milhões e pode próximo unicórnio em hospitalidade

Startup de hospitalidade está cada vez mais perto de uma avaliação de 1.000 milhões de dólares e prevê ter 400 espaços até 2023.

A Selina, startup da indústria da hospitalidade com espaços no Porto e na Ericeira, está mais perto de tornar-se um unicórnio. A empresa acaba de anunciar que levantou 100 milhões de dólares numa ronda de financiamento [elevando o total de financiamento da empresa para 225 milhões de dólares] e mais 300 milhões em parcerias a nível regional para financiar a expansão global da companhia.

Liderada pela Access Industries e com a participação do grupo Wiese e dos atuais investidores Colony Latam Partners, a ronda posiciona a empresa cada vez mais perto de uma avaliação de 1.000 milhões de dólares.

"Tal como é visível em vários setores, desde o coworking até ao ridesharing, os millennials e a Geração Z estão a redefinir a forma como querem viver, trabalhar e explorar o mundo.”

Rafael Museri

CEO da Selina

Fundada em 2015, a Selina tem crescido em todo o mundo e opera atualmente 46 unidades em 13 países, contando com mais de 22.000 camas. O modelo de negócio da empresa assenta na combinação de quartos privados e partilhados com instalações de coworking, ofertas de food and beverage, wellness, retalho e experiências locais. De acordo com a estratégia de expansão da rede, a Selina deverá contar com 400 unidades abertas em todo o mundo em 2023 e tem como objetivo chegar às 130.000 camas, construindo uma base para as categorias de consumo “digital nomad” e “remote work”.

Vamos alavancar este financiamento para expandir a nossa plataforma corporativa e garantir mais dos talentos mais criativos do setor“, explica Rafael Museri, Co-Founder e CEO da Selina, em comunicado. “Continuaremos a investir na nossa equipa de inovação tecnológica em Telavive, enquanto exploramos novas formas de inovação no mundo digital para o setor de hospitalidade, aprimorando a experiência de reservas para os viajantes e continuaremos a rápida expansão para novos mercados em todo o mundo”, acrescenta, sublinhando: “Tal como é visível em vários setores, desde o coworking até ao ridesharing, os millennials e a Geração Z estão a redefinir a forma como querem viver, trabalhar e explorar o mundo. (…). A natureza ambiciosa e aventureira destas gerações prova que há uma procura pelo nosso modelo de hospitalidade baseado nas experiências, hoje e nos próximos anos”.

Nos planos da empresa para 2019 está um ano de recorde de aberturas: deverá inaugurar 35 espaços nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Portugal, Grécia, Israel, Argentina, Brasil e México, em conjunto com a expansão para novos mercados europeus e latino-americanos e uma entrada na Ásia até 2020.

“Acreditamos que o foco da Selina na construção de uma plataforma de hospitalidade global para nómadas digitais irá redefinir a maneira como os millennials vivem, trabalham, se divertem, aprendem e retribuem”, afirma Lincoln Benet, da Access Industries.

Comentários ({{ total }})

Selina fecha ronda de 100 milhões e pode próximo unicórnio em hospitalidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião