Energia penaliza bolsa de Lisboa. EDP recua quase 1%

O PSI-20 encerrou a última sessão da semana em queda, acompanhando os seus pares europeus. O setor energético foi aquele que mais pesou no índice nacional.

O setor energético ditou as perdas em Lisboa na última sessão da semana. Os títulos da EDP desvalorizaram quase 1%, enquanto a EDP Renováveis acompanhou a tendência. Também a Galp ficou no conjunto das cotadas no vermelho. Nem mesmo os ganhos registados no BCP ou na Jerónimo Martins foram capazes de evitar que o PSI-20 terminasse a semana em queda.

O PSI-20, principal índice bolsista português, caiu 0,33% para 5.192,74 pontos. Lá fora, nas restantes praças europeias, o sentimento foi idêntico. O Stoxx 600 perdeu 0,70%, enquanto o espanhol IBEX desvalorizou 0,69%, o britânico FTSE recuou 0,65% e alemão DAX caiu 0,61%.

Por cá, o setor energético foi aquele que teve a maior influência nas perdas lisboetas. A EDP desvalorizou 0,82% para 3,381 euros. Isto um dia depois de ter sido notícia que a elétrica tem cinco empresas interessadas nos seus ativos de energia hidroelétrica: Brookfield, Endesa, Engie, Iberdrola e a unidade de infraestruturas da Macquarie. De acordo com a agência Bloomberg, o negócio poderá render cerca de dois mil milhões de euros à empresa liderada por António Mexia.

EDP cai

Também a EDP Renováveis seguiu a tendência da empresa-mãe e encerrou a sessão a perder 0,87% para 9,12 euros. Ainda a pesar nas perdas esteve a Galp, com os títulos a descerem 0,23% para 13,30 euros.

Do outro lado, a evitar perdas maiores, esteve, sobretudo, a Jerónimo Martins e o BCP. Enquanto a empresa do setor do retalho terminou a negociação a valorizar 0,32% para 14,18 euros, as ações do banco liderado por Miguel Maya subiram 0,21% para 0,2867 euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Energia penaliza bolsa de Lisboa. EDP recua quase 1%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião