5 coisas que vão marcar o dia

  • ECO
  • 8 Julho 2019

A semana começa com o Eurogrupo a discutir a nomeação de Christine Lagarde para o BCE e o FMI a aprovar a análise anual à economia portuguesa. António Costa e Rui Rio juntos em conferência em Gaia.

A semana começa com o Eurogrupo a discutir pela primeira vez a nomeação de Christine Lagarde para a presidência do Banco Central Europeu, na sequência do acordo alcançado no Conselho Europeu na semana passada. Em Washington, o Fundo Monetário Internacional aprova a análise anual à economia portuguesa, enquanto no norte do país, o primeiro-ministro e o líder da oposição estarão juntos nas comemorações do Dia Nacional do Mutualismo, tal como Marcelo Rebelo de Sousa, Carlos César e a ministra da Saúde, Marta Temido.

Eurogrupo começa a discutir nomeação de Christine Lagarde

O Eurogrupo vai reunir-se esta segunda-feira em Bruxelas e tem uma longa lista de temas na agenda, que vão desde a Grécia a Espanha, passando pela moeda comemorativa dos 35 anos do programa Erasmus. Entre os temas está também a nomeação, pelo Conselho Europeu, de Christine Lagarde para a presidência do Banco Central Europeu. Os ministros das Finanças terão de fazer uma recomendação ao Conselho Europeu sobre o nome que lhes foi indicado pelo próprio Conselho, para o processo possa começar a andar. Na expectativa está o FMI, que não pode lançar o processo de sucessão de Christine Lagarde enquanto esta não renunciar ao seu mandato — atualmente suspenso.

FMI discute avaliação anual da economia portuguesa

E é precisamente em Washington que Portugal será tema de conversa. O conselho de administração do Fundo Monetário Internacional vai ouvir da equipa de Nelson Cuevas os resultados da avaliação anual feita à economia portuguesa, ao abrigo do Artigo IV (que faz a todos os países membros). O Fundo deve aprovar o relatório com a avaliação que terminou a 15 de maio, e que dizia que a equipa acreditava na viabilidade da meta do défice orçamental de 0,2% traçada pelo Governo para este ano, mesmo com um crescimento menor.

INE divulga índice de custos de construção de habitação nova

Depois de um primeiro trimestre com resultados muito positivos, o INE dá a conhecer mais um indicador que permite começar a perceber se a construção continuará a tendência de crescimento verificada nos primeiros três meses do ano. Os números são relativos a maio e permitirão saber como estão a evoluir os custos de construção de habitação nova e o índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação.

Dia do Mutualismo junta Costa, Rio e Marcelo Rebelo de Sousa em Gaia

O primeiro-ministro, António Costa, a ministra da Saúde, Marta Temido e o presidente e líder parlamentar do PS, Carlos César, estarão em Vila Nova de Gaia para as comemorações do Dia Nacional do Mutualismo. A dois dias do último debate do Estado da Nação no Parlamento, os líderes socialistas cruzam-se na mesma conferência com o presidente do PSD, Rui Rio, e com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, numa conferência em que participará também o histórico socialista e agora diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações, António Vitorino.

Governador do Banco de Portugal e ministro do Ambiente debatem financiamento sustentável

Ao mesmo tempo que os principais líderes políticos do país estão em Vila Nova de Gaia e que Mário Centeno começa o Eurogrupo em Bruxelas, o governador do Banco de Portugal vai estar na Fundação Calouste Gulbenkian para uma conferência sobre “o papel do financiamento sustentável”. Carlos Costa vai estar acompanhado de João Paulo Matos Correia, ministro do Ambiente e da Transição Energética.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião