Neves de Almeida volta a avaliar práticas de RH em mais um índice de excelência

  • Ricardo Vieira
  • 16 Julho 2019

Estudo avalia as empresas com melhor clima organizacional e dá às empresas um insight sobre áreas fortes e a melhorar.

A consultora Neves de Almeida está a organizar mais uma edição do Índice da Excelência, um estudo que analisa as práticas de recursos humanos em Portugal e premeia as organizações que mais investem e apostam nesta área.

As organizações, podem inscrever-se gratuitamente no site da iniciativa e, até ao final do mês de novembro, parte dos colaboradores das empresas participantes devem participar com a resposta a questionários, ferramentas que servem para avaliar as práticas de RH.

O objetivo do estudo, como explica afirma Gonçalo de Salis Amaral, partner da Neves de Almeida, é “disponibilizar uma avaliação da dimensão complexa do capital humano em contexto organizacional e compreender a relevância para uma estratégia global. O fator X que identificamos difere de organização para organização, exigindo um processo de conhecimento e avaliação que se revela fundamental para perceber qual a mais-valia diferenciadora em cada organização e como a utilizar para potenciar a relação com os seus colaboradores”.

“Esta nova edição 2019 contempla melhorias e atualizações tanto no âmbito das questões abordadas como na respetiva apresentação e análise (reports) inseridas na lógica de melhoria contínua e de ajustamento à realidade e necessidades do mercado e do tecido económico”, acrescenta.

As conclusões do estudo, como explica a organização em comunicado, ajudam a “determinar quais as empresas que apresentam um melhor clima organizacional e que se destacam como entidades de excelência em Portugal, mas igualmente dar a cada empresa participante a oportunidade de obter informação relevante para a identificação de áreas fortes e de melhoria na gestão do seu ativo humano e os seus principais fatores de retenção”.

O Índice da Excelência vai premiar as organizações por setor de atividade e por categorias de dimensão, definidas por número de colaboradores.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Neves de Almeida volta a avaliar práticas de RH em mais um índice de excelência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião