Regulador quer ser avisado quando postos ficarem sem combustíveis

A Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE) quer saber o stock dos postos de emergência e ser informada quando houver falta de combustível.

Depois de ter sido publicada a Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), a Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE) quer saber o stock disponível em cada um destes postos. O objetivo, diz o regulador, é garantir a distribuição de combustíveis na rede de emergência. Além disso, quer ser avisada sempre que os postos de abastecimento em todo o país ficarem sem combustível.

Num comunicado publicado no próprio site, a ENSE pede aos responsáveis dos postos da REPA informações sobre: o total da tancagem disponível do posto, a quantidade de combustível (gasóleo e gasolina) disponível no posto nos dias 9, 10 e 11 de agosto (até às 00h00 de cada dia) e todos os dias enquanto durar a situação de greve (até às 00h00 de cada dia).

Esta informação, diz o documento, assinado pelo presidente do Conselho de Administração, Filipe Meirinho, deverá ser “obrigatoriamente” remetida à ENSE através do Balcão Único até às 00h00 de cada um dos dias indicados, e visa “gerir o stock em cada um dos postos”, de forma a “garantir a distribuição de combustíveis na rede de emergência”.

Num outro comunicado, a ENSE diz que todos os responsáveis dos postos de abastecimento implantados em território nacional ficam obrigados, em caso de esgotamento do combustível, e perante a impossibilidade de abastecimento pelos próprios meios, a comunicar essa falha ao regulador.

A comunicação deve ser feita através do email “ccoe@ense-epe.pt” e devem ser dadas informações acerca do número de identificação do posto e marca, a localização exata do posto e a empresa que habitualmente fornece o combustível.

Esta quarta-feira, o Governo decretou os serviços mínimos para a greve marcada para a próxima segunda-feira (12 de agosto), que vão variar entre 50% e 75%, além de 100% para serviços essenciais, que incluem o abastecimento da REPA. Anunciou ainda que a REPA ia contar com 374 postos, limitados a 15 litros de combustível por pessoa.

(Notícia atualizada às 14h30 com novos pedidos por parte da ENSE)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Regulador quer ser avisado quando postos ficarem sem combustíveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião