Primeiro anúncio de emprego da Amazon foi publicado há 25 anos

Bezos recordou esta sexta-feira o primeiro anúncio de emprego da Amazon, a 23 de agosto de 1994. Procurava alguém rápido nas tarefas, revelando a visão que viria a ter para a gigante do e-commerce.

Foi há exatamente 25 anos, a 23 de agosto de 1994, que o jovem empreendedor Jeff Bezos publicou o primeiro anúncio de emprego para aquela que viria a ser a gigante de e-commerce Amazon. A empresa na altura designada “Cadabra, Inc”, procurava um especialista em desenvolvimento de software “extremamente talentoso” que pudesse “ajudar um negócio pioneiro de e-commerce na internet”, lê-se na publicação de Jeff Bezos desta sexta-feira na página pessoal do Instagram. “Parece que foi ontem”, lê-se no texto nostálgico.

Segundo o Business Insider, no anúncio publicado em 1994 já era possível adivinhar os planos que Bezos tinha para o futuro e a sua “obsessão pela rapidez”. Em 1994, o CEO da Amazon procurava alguém capaz de concluir uma tarefa “num terço do tempo que as pessoas mais competentes julgam ser possível”.

A verdade é que, 25 anos depois, a Amazon tornou-se uma das maiores empresas de comércio eletrónico do mundo e ajudou Jeff Bezos a tornar-se o homem mais rico do planeta.

E a ambição não ficou por aqui. Em 2000, fundou a empresa espacial Blue Origin, que atualmente tem vários acordos com a NASA para iniciar as viagens comerciais para o Espaço. Também em terra, Jeff Bezos quer revolucionar as viagens com a entrega de encomendas através de drones.

 

Quando foi publicado este anúncio, Jeff Bezos ainda não tinha definido o nome da Amazon. Em cima da mesa estavam alguns nomes como “Cadabra, Inc”, tal como se lê no anúncio de emprego, Awake.com, Browse.com e até Relentless.com. Se tentar pesquisar alguns destes links, será automaticamente direcionado para a página oficial da Amazon.

Apesar do sucesso, a obsessão de Bezos já trouxe algumas notícias menos positivas relativamente às condições de trabalho dos colaboradores. Na Amazon Europa, os trabalhadores já revelaram sofrer de excessiva pressão. Segundo a BBC, alguns trabalhadores do Reino Unido já se uniram para reivindicar melhores condições de trabalho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Primeiro anúncio de emprego da Amazon foi publicado há 25 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião