Boris Johnson vai pedir um adiamento do Brexit caso não haja acordo até sábado

O primeiro-ministro britânico irá pedir um adiamento do Brexit se não conseguir alcançar um acordo com Bruxelas até este sábado, tal como dita a lei aprovada recentemente no Parlamento.

Se não conseguir alcançar um acordo com Bruxelas até este sábado, Boris Johnson vai pedir um adiamento do Brexit. As negociações intensificaram-se nos últimos dias, com o objetivo de chegar a um consenso antes da reunião do Conselho Europeu, que se realiza de 17 a 18 de outubro.

A garantia de que o Governo irá enviar uma carta à União Europeia caso não haja acordo foi dada por Stephen Barclay, ministro para o Brexit, adianta o The Independent (acesso livre, conteúdo em inglês). Uma lei aprovada recentemente no Parlamento britânico já exigia que, sem acordo até 19 de outubro, fosse pedido um adiamento de três meses, para 31 de janeiro de 2020.

No entanto, até aqui, o primeiro-ministro britânico nunca tinha admitido a hipótese, reiterando sempre que o Reino Unido vai sair da União Europeia a 31 de outubro. Boris Johnson chegou mesmo a dizer que “preferia estar morto numa vala” a pedir um adiamento do Brexit.

Nesta terça-feira, o negociador chefe da UE disse que, apesar de difícil, ainda era possível chegar a acordo esta semana. Mesmo se for alcançado um acordo, Boris Johnson terá ainda de conseguir aprovar o texto no Parlamento britânico. Se houver acordo os deputados irão reunir excecionalmente a um sábado para votar.

(Notícia atualizada às 11h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Boris Johnson vai pedir um adiamento do Brexit caso não haja acordo até sábado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião