The Gathering marca ritmo do pré-Web Summit em Cascais

Evento reúne empreendedores, investidores e alguns speakers em Cascais, e marca o aquecimento para a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia do mundo.

Paddy Cosgrave, CEO e cofundador do Web Summit, com Artur Pereira, country manager do Web Summit e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, na conferência de imprensa na Nova SBE, em Carcavelos, na manhã deste domingo. Sam Barnes/The Gathering via Sportsfile

Paddy Cosgrave chega bem antes da hora marcada e espera pelos jornalistas do lado de dentro da entrada da Nova SBE, em Cascais. Desde sábado à noite que cerca de 200 convidados — entre os quais estão empreendedores, investidores, oradores do evento e alguns jornalistas — estão reunidos, em Cascais, no The Gathering, evento em estreia este ano e que marca o arranque da preparação para o Web Summit. O evento é uma espécie de mistura entre o Founders — que juntava fundadores de startups — e a Surf Summit — que costumava acontecer na Ericeira — que, pela primeira vez, não acontecem durante o evento, desde que o Web Summit se mudou para Lisboa.

O maior evento de empreendedorismo e tecnologia do mundo está a pouco mais de 24 horas de arrancar, no Parque das Nações, em Lisboa, mas durante todo o dia deste domingo duas centenas de pessoas de todas de vários continentes já têm programa garantido, entre sessões inspiracionais, de networking e outras atividades.

Para Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, o The Gathering é um “sinal de que Cascais continua a atrair eventos mais especiais” e de que é possível, longe dos palcos da FIL, estar “à vontade para dizer tudo aquilo que se sente”.

“A tecnologia está cada vez mais política, como todas as empresas. E o Web Summit é exemplo disso”, explicou esta manhã Paddy Cosgrave, em conversa com os jornalistas, elogiando as características de Cascais.

O Web Summit arranca já esta segunda-feira, dia 4 de novembro, à tarde, e conta com a participação do whistleblower Edward Snowden na sessão de abertura. Antes, durante a manhã, dá-se início ao Venture, o evento que decorre ao mesmo tempo do que a conferência e que junta centenas de investidores na cidade. Esta é a quarta edição do Web Summit a decorrer em Lisboa, depois da vinda do evento para Portugal em 2016, depois de deixar a cidade-Natal, Dublin.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

The Gathering marca ritmo do pré-Web Summit em Cascais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião