Em linha com Governo, Bruxelas estima que desemprego recue para 5,9% em 2020

Bruxelas revê em alta a taxa de desemprego português para 2019 e 2020, estimando agora que fique nos 6,3% este ano e nos 5,9% no próximo, valores que estão em linha com projeções do Governo.

A Comissão Europeia estima que taxa de desemprego em Portugal deverá ficar nos 6,3%, este ano, e nos 5,9% em 2020, valores que ficam em linha com as previsões que o Governo de António Costa incluiu no Projeto de Plano Orçamental 2020, mas acima dos números que tinham sido indicados nas Previsões de Primavera pelo Executivo comunitário. Bruxelas antecipa ainda que, em 2021, o desemprego em Portugal deverá voltar a cair para 5,6%.

De acordo com as projeções divulgadas esta quinta-feira, a taxa de desemprego na Zona Euro deverá ficar, este ano, nos 7,6%, baixando para 7,4% em 2020 e para 7,3% em 2021. Igual trajetória é esperada ao nível da União Europeia (a 27), cuja taxa de desemprego deverá fixar-se, em 2019, nos 6,8%, descendo para 6,7% em 2020 e para 6,5% em 2021.

No caso português, Bruxelas estima que a tendência será semelhante, estimando que a taxa de desemprego fique nos 6,3% em 2019 e nos 5,9% em 2020. As previsões da Comissão Europeia ficam, por um lado, em linha com aquelas inscritas pelo Executivo de António Costa no Projeto de Plano Orçamental 2020; Mas por outro, as projeções conhecidas esta manhã refletem uma revisão em alta em relação às Previsões de Primavera. Isto porque, em maio, Bruxelas previa que a taxa de desemprego em Portugal ficaria, em 2019, nos 6,2% (menos 0,1 p.p. do que a estimativa agora conhecida) e, em 2020, nos 5,7% (menos 0,2 p.p. do que a nova previsão).

Em 2021, o Executivo comunitário antecipa que a taxa de desemprego em Portugal deverá voltar a recuar para 5,6%. “A taxa de desemprego deverá decrescer a um ritmo moderado para 5,6% em 2021 com os serviços e a construção a darem os maiores contributos para a criação de emprego”, lê-se nas Previsões de Outono.

Ao nível do emprego, Bruxelas revê em baixa os valores portugueses para este ano e para o próximo. Em maio, a Comissão Europeia tinha estimado que a taxa de emprego em Portugal ficaria, em 2019, nos 1,1% e, em 2020, nos 0,8%. Agora prevê que Portugal feche este ano com uma taxa de emprego de 1% (menos 0,1 p.p do que em maio) e registe um recuo, em 2020, para 0,5% (menos 0,3 p.p do que estava indicado nas previsões anteriores). A Comissão Europeia antecipa, além disso, que em 2021 a taxa de emprego em Portugal deverá estagnar nos 0,5%.

O Executivo comunitário estima, por outro lado, que a taxa de emprego na Zona Euro deverá ficar nos 1,1% este ano e nos 0,5% nos próximos dois anos, ou seja, praticamente em linha com a projeção para Portugal. Em maio, Bruxelas tinha indicado uma taxa de emprego para a área da moeda única de 0,9% para este ano e de 0,8% para 2020, ou seja, a este nível há agora uma revisão em alta para 2019 e em baixa para 2020.

Nas estimativas para a União Europeia, o quadro repete-se. A Comissão Europeia tinha projetado uma taxa de emprego de 0,8% para este ano, que agora revê para 1%. E em vez de 0,7% em 2020, Bruxelas vê o emprego estagnar no bloco comunitário nos 0,4%, em 2020 e 2021.

Nas Previsões de Outono, que foram conhecidas esta quinta-feira, o Executivo comunitário dedica ainda uma nota ao abrandamento do crescimento do emprego em Portugal, referindo que a par desta tendência está a registar-se um aceleramento da subida dos salários, esperando que tal tenha um impacto positivo na produtividade.

Comentários ({{ total }})

Em linha com Governo, Bruxelas estima que desemprego recue para 5,9% em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião