Web Summit: Dez oradores a não perder no quarto dia

O fundador da Revolut e o CTO da Amazon são dois dos nomes de peso que vão estar no Web Summit esta quinta-feira, 7 de novembro. Conheça outros oradores a não perder no último dia do evento.

Depois de três dias com diferentes oradores a pisarem os diferentes palcos do Web Summit, convém ainda ter fôlego para uma última dose de tecnologia e empreendedorismo. A pensar nos milhares de participantes que vão estar no Parque das Nações para o quarto dia de evento (mas também nos que vão acompanhar pelas redes sociais), o ECO preparou uma lista com dez oradores a não perder esta quinta-feira.

Web Summit 2018 – 05NOV18

1. Nikolay Storonsky, fundador da Revolut

Fundada há quatro anos, a Revolut está a dar que falar por ser uma alternativa digital ao setor da banca tradicional e conta já com mais de 200.000 utilizadores em Portugal. Esta quinta-feira, um dos seus fundadores vai estar presente naquele que é o último dia de Web Summit, na conferência “Cash is dead, what’s next to go?”, em vai falar sobre o futuro das fintech de pagamentos.

2. Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência

Não ligada diretamente ao setor tecnológico, mas com uma palavra a dizer sobre o tema está a política dinamarquesa Margrethe Vestager. Paddy Cosgrave considera-a o nome mais importante da política a nível europeu e trá-la, de novo, a Lisboa (aliás, o CEO do Web Summit disse que Vestager é inclusivamente a oradora mais popular do evento). A comissária europeia para a Concorrência vai estar no palco principal do Web Summit, ao lado de Laurie Segall, fundadora e CEO da Dot Dot Dot Media, para falar sobre o futuro da tecnologia, que será liderado por empresas como a Apple, Amazon e Google.

3. Juan Branco, advogado de Julian Assange, da WikiLeaks

Juan Branco é advogado de Julian Assange, fundador da WikiLeaks e preso desde abril. Depois de passar pelo palco principal na quarta-feira, Branco participa na conferência “Fim da corrupção expondo a verdade”, que decorre às 10h30 no palco Future Societies. Este debate acontece numa altura em que a corrupção está cada vez mais presente na sociedade e pretende mostrar como se pode expor a verdade e proteger a vulnerabilidade das pessoas.

4. Werner Vogels, CTO da Amazon

É atualmente uma das gigantes tecnológicas dos Estados Unidos, principalmente no setor do retalho. E é para falar exatamente sobre esse tema que o seu CTO, Werner Vogels, vai estar presente numa conversa sobre “os gigantes do comércio online”, às 14h25, para debater quem são os vencedores desta batalha de e-commerce. Sentados no mesmo palco vão estar Alyssa Cutright, VP of Global Payments do Ebay, Tatyana Bakalchuk, fundadora e CEO da Wildberries, e Felix Holtermann, editor financeiro do Handelsblatt.

5. Werner Hoyer, presidente do Banco Europeu de Investimento (BEI)

O presidente do Banco Europeu de Investimento (BEI) também vai dar o seu contributo ao Web Summit. Werner Hoyer vai falar às 10h45 no palco Venture, ao lado de Felix Holtermann, editor financeiro do Handelsblatt, para discutir e mostrar como olha para o futuro da Europa no campo do investimento. Importa referir que, até agora, o BEI emprestou 5,5 mil milhões de euros a projetos nacionais, com Portugal a ser o terceiro país do Plano Juncker.

6. Fredrik Hjelm, cofundador e CEO da Voi Technology

É uma empresa bastante conhecida dos portugueses mas que também deu que falar nos últimos dias. Menos de um ano depois de ter chegado a Portugal com as suas trotinetas elétricas, a Voi decidiu fazer as malas e partir, justificando esta decisão com as condições regulatórias e de mercado. E exatamente por isso o seu cofundador e CEO vai estar presente no Web Summit, para falar sobre as startups tecnológicas e o caso da regulamentação. Fredrik Hjelm vai estar no palco Growth Summit às 15h37.

7. Abdulaziz Bin Nasser Al-Khalifa, CEO do Qatar Development Bank

Vem do Qatar e vai partilhar no Web Summit a experiência que tem no campo da inovação. Abdulaziz Bin Nasser Al-Khalifa é CEO do Qatar Development Bank e vai falar no palco Corporate Innovation Summit às 15h55 sobre a forma como as empresas lutam para se adaptar à falta de financiamento. Sentado ao lado da vice-presidente do Banco Europeu de Investimento, Emma Navarro, Abdulaziz Bin Nasser Al-Khalifa vai discutir a melhor forma para se promover uma “economia verdadeiramente inovadora”.

8. David Graff, global head of product policy & content moderation da Google

Que tipo de conteúdos podem e devem ser partilhados? Numa altura em que a proteção de dados é uma questão cada vez mais discutida, David Graff vai dar o seu contributo sobre este tema. O global head of product policy & content moderation da Google vai estar presente no palco Content Makers, às 11h30, para falar sobre as políticas que regem os tipos de conteúdo que podem ser partilhados nas várias plataformas da Google.

9. Pascal Saint-Amans, diretor do Center for Tax Policy da OCDE

“Quão justos são os impostos?”. É a esta pergunta que diretor do Center for Tax Policy da OCDE vai tentar responder. Juntamente com Jane McCormick, global head of Tax da KPMG, Pascal Saint-Amans vai falar às 11h10 no palco Future Societies sobre todo o tipo de impostos e se estes estão a ser cobrados devidamente e na quantidade certa.

10. Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

E, como não podia deixar de ser, a encerrar o Web Summit vai estar Marcelo Rebelo de Sousa, ao lado de Paddy Cosgrave no palco principal às 17h. O Presidente da República ainda não esteve no evento este ano, e marca presença, mais uma vez, na sessão de abertura da cimeira tecnológica em Portugal, que reuniu este ano mais de 70.000 participantes. No ano passado, deixou vários desafios a ter em conta em próximas edições.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Web Summit: Dez oradores a não perder no quarto dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião