Mais clientes puxam receitas da Altice Portugal para 536 milhões de euros no terceiro trimestre

O desempenho operacional e um "rigoroso" controlo dos custos levou a Altice Portugal, dona da Meo, a registar melhores resultados no terceiro trimestre, revelou a empresa.

Os resultados da Altice Portugal melhoraram no terceiro trimestre, período em que a empresa viu as receitas crescerem tanto em cadeia como quando comparadas com o trimestre homólogo de 2018. Este crescimento, justificado com um melhor desempenho operacional, um “rigoroso” controlo das despesas, a “estabilização” da margem bruta e o programa de pré-reformas, levou a empresa a consolidar a estabilização das contas no acumulado dos nove meses do ano.

Segundo um comunicado divulgado pela empresa, os lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) “estabilizaram” no trimestre face ao ano passado e melhoraram 1,2% em cadeia, fixando-se em 216 milhões de euros. Esta evolução regista-se há sete trimestres consecutivos, refere a Altice Portugal.

Este desempenho é explicado com o crescimento das receitas no trimestre. O montante de 536 milhões de euros representa uma subida de 2,1% em termos homólogos e 2,8% em cadeia. Concretamente, a empresa tem estado focada na fibra ótica e fechou o mês de setembro com 58% da base de clientes nessa tecnologia, mas também ganhou clientes, na ordem das 190 mil adições líquidas no período. O perímetro da fibra também tem sido alargado, com 4,8 milhões de casas passadas com fibra da Altice Portugal.

“Os indicadores operacionais revelam-se, uma vez mais, claramente positivos, impulsionados pelo segmento de retalho, onde a base de clientes únicos cresceu mais 5.000 neste trimestre”, refere a empresa no mesmo comunicado em que revela que as adições líquidas neste negócio totalizaram as 173 mil. No segmento empresarial, a dinâmica foi “positiva” em “todos os principais produtos”, mas a Altice Portugal não discrimina as receitas por segmento de negócio, apenas a evolução percentual, que foi positiva na generalidade dos indicadores.

A ajudar o desempenho operacional no trimestre esteve ainda, no segmento grossista, a sazonalidade do negócio, com a entrada de estrangeiros em Portugal que acabaram por usar a rede móvel da Meo em roaming, mas também o “tráfego doméstico relacionado com os concursos de TV”. Isto numa altura em que a dona da SIC tem reportado um crescimento percentual de dois dígitos das receitas com chamadas de valor acrescentado, como noticiou o ECO. Contudo, as receitas do negócio grossista caíram 5,3% face ao trimestre homólogo, uma vez que estas melhorias “não compensaram os impactos negativos da regulação”, especialmente o corte nos preços da Televisão Digital Terrestre impostos pela Anacom.

“Estes números e conquistas são o resultado da estratégia de liderança encetada pela Altice Portugal, que se consubstancia em investimentos em rede, produtos mais inovadores, comprometimento na melhoria do atendimento ao cliente, crescimento sólido da base de clientes e liderança no crescimento de aquisições de mercado”, conclui, na mesma nota, o grupo liderado em Portugal por Alexandre Fonseca.

Altice Europe cresce e refinancia dívida

Ao nível internacional, a Atice Europe ATC 3,00% registou um EBITDA ajustado de 1,407 mil milhões de euros, mais 8,2% do que no trimestre homólogo, enquanto as receitas totais de 3,666 mil milhões de euros representaram uma melhoria de 6,3% face aos mesmos três meses de 2018.

O grupo conseguiu ainda refinanciar uma parte da sua dívida, num total de 2,5 mil milhões de euros, alargando a maturidade da mesma. Deste valor, uma tranche de 550 milhões de euros foi conseguida a um juro de 2,50%, o mais baixo alguma vez alcançado pela Altice France, que atingirá a maturidade em janeiro de 2025.

Ainda assim, a maior tranche da dívida da Altice Portugal, 12,2 mil milhões de euros, apenas tem de ser paga em 2026. E a empresa garante ter fechado o trimestre com uma liquidez disponível de 3,4 mil milhões de euros.

Numa chamada telefónica com analistas, Patrick Drahi, fundador do grupo Altice, enalteceu os resultados positivos alcançados e não escondeu que surgem depois de um “primeiro trimestre um pouco negativo”. No entanto, o gestor promete que, depois destes resultados no terceiro trimestre, “o quarto vai ser ainda melhor”.

Na mesma chamada, Alain Weill, presidente executivo da Altice Portugal, avançou que o processo de venda da rede de fibra ótica da Meo continua em curso. A administração está a avaliar sete propostas pelo ativo, mas não tem pressa para o vender, uma vez que a rede está a “valorizar” a cada mês, disse o gestor.

(Notícia atualizada às 17h12 com mais informações)

Comentários ({{ total }})

Mais clientes puxam receitas da Altice Portugal para 536 milhões de euros no terceiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião