vERA: a assistente virtual que o ajuda a comprar casa

O novo chatbot da ERA tem como objetivo apoiar os utilizadores no processo de compra, venda ou arrendamento de casa num ambiente online/mobile.

Chama-se vERA e é a nova assistente virtual que pode ajudá-lo a comprar casa pelo Messenger. Em parceria com a E.life, especialista em inteligência artificial e desenvolvimento de chatbots, a ERA criou o primeiro serviço de atendimento virtual do mercado imobiliário português.

A vERA foi desenvolvida para oferecer um serviço de atendimento mais personalizado de compra e venda de casa, disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e em tempo real. Com um diálogo mais humano e tendo em conta as características e preferências de cada cliente, o novo chatbot da ERA, que consiste num sistema de inteligência artificial, tem como principal objetivo apoiar os utilizadores no processo de compra, venda ou arrendamento de casa num ambiente online/mobile.

“Com base na experiência acumulada deste projeto (…), decidimos lançar uma nova versão do nosso chatbot: mais personalizada, mais inteligente, mais humana e com um novo nome, a vERA”, afirmou João Pedro Pereira, membro da Comissão Executiva da ERA Portugal, citado em comunicado.

Também criada para ajudar no processo de candidatura a uma agência ERA e para responder a questões genéricas sobre os serviços da imobiliária, a vERA ajuda “pesquisar imóveis nas mais variadas zonas do país através de um sistema de geolocalização integrado, bem com receber alertas com indicação de casas com características predefinidas, como tipologia e preços”, explica João Pedro Pereira.

Em 2016, a imobiliária tinha já dado o primeiro passo ao implementar o primeiro chatbot do setor em Portugal. Após o sucesso verificado com este projeto-piloto, a ERA apresenta uma nova e melhorada versão de assistente virtual no Facebook.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

vERA: a assistente virtual que o ajuda a comprar casa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião