Aon renova parceria com Ordem dos Advogados para proteger riscos da profissão

A Aon renovou a parceria com a Ordem dos Advogados através da qual vai disponibilizar, aos seus associados, uma apólice de responsabilidade civil profissional.

A Aon anunciou esta quinta-feira a renovação da parceria com a Ordem dos Advogados (OA) através da qual vai disponibilizar, aos seus associados, uma apólice de responsabilidade civil profissional desenhada para garantir o pagamento de indemnizações que possam ser exigidas face a erros, omissões ou negligência decorrentes do exercício da sua atividade profissional.

“Os profissionais da advocacia tomam decisões diárias complexas e é importante que se sintam seguros na realização da sua atividade. A responsabilidade civil profissional permite isto mesmo, ou seja, que profissionais realizem as suas tarefas sem estarem reticentes em tomar decisões face à natureza e âmbito dos riscos inerentes à sua atividade“, nota Tiago Vieira, diretor executivo da Aon Portugal.

O diretor reforçou ainda que a apólice foi concebida para as “reais necessidades” da profissão da área. Desta forma, todos os advogados com inscrição em vigor na Ordem dos Advogados estão abrangidos pela apólice, beneficiando automaticamente de um seguro base de responsabilidade civil profissional, com limite de indemnização de 150.000 euros.

“A renovação da parceria entre a Aon e a OA permite ainda, aos advogados, a contratação das designadas apólices complementares de seguro de reforço, em condições mais vantajosas, acrescendo um capital mínimo de 100.000 euros ao capital do seguro de grupo. A contratação desta apólice complementar de reforço com a Aon permite ao advogado a eliminação da franquia do seguro de grupo subscrito pela Ordem dos Advogados, no valor de 5.000 euros”, acrescenta a corretora em comunicado.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Aon renova parceria com Ordem dos Advogados para proteger riscos da profissão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião