Vendas de carros caem, mas os de luxo estão a crescer. Portugueses compram mais “bombas”

Pela primeira vez em sete anos, as vendas de automóveis encolheram. Houve uma quebra, ainda que ligeira, contrariada pelas marcas de luxo. Porsche e Lamborghini mais do que duplicam vendas.

2019 não foi um bom ano para o mercado automóvel português. Pela primeira vez desde a crise que se abateu sobre o país, as vendas de veículos novos encolheram. Uma quebra ligeira que, contudo, esconde um crescimento expressivo no segmento de luxo. As vendas de “bombas” cresceram, com marcas como a Porsche ou a Lamborghini a mais do que duplicarem o número de veículos que puseram a acelerar nas estradas nacionais.

De acordo com os dados da ACAP, considerando apenas os automóveis ligeiros (de passageiros e comerciais), foram vendidos 262 mil veículos, aquém do registado em 2018. No caso dos ligeiros de passageiros, as vendas totalizaram 223.799 unidades, “o que se traduziu numa variação negativa de 2% relativamente a período homólogo de 2018″.

A Renault, a líder de mercado, foi responsável por 29.014 unidades, uma quebra de 7,1%, sendo seguida da Peugeot e da Mercedes-Benz no top das vendas, ambas apresentando um aumento no número de novos registos, embora de 3% e 0,6%. Maiores crescimentos foram registados por marcas como a Seat ou a Hyundai, mas nada comparado com o aumento das vendas de algumas marcas de luxo.

A Porsche registou um crescimento de 188,1% entre 2018 e 2019, passando de 260 para 749 unidades comercializadas no mercado nacional, números que, alerta a ACAP, não consideram a totalidade dos modelos da marca vendidos em Portugal.

Este número de unidades vendidas pela fabricante dos 911 e, mais recentemente dos SUV Macan e Cayenne — enquanto não chega o elétrico Taycan –, só foi superado pela Jaguar, com um total de 850 unidades. Ainda assim, a marca do F-Type, E-Type e I-PACE, vendeu menos uma unidade.

Juntas, a Porsche e a Jaguar foram responsáveis por 1.599 dos 1.688 veículos comercializados pelas sete marcas consideradas de luxo, um número que traduz um crescimento de 40% nas vendas destas fabricantes.

A ajudar ao crescimento das “bombas” esteve também a Lamborghini que apresentou um aumento de 171,4% nas vendas de 2019, passando de sete para 19 unidades vendidas. A Ferrari vendeu mais, chegando às 26 unidades, ainda assim o crescimento foi inferior, aumentando em apenas três o número de veículos comercializados.

A Bentley também bateu a Lamborghini, com 21 veículos, enquanto a Maserati e a Aston Martin ficaram no fundo da tabela, vendendo 17 e 6 veículos, respetivamente, sendo que em ambos os casos houve uma quebra na comercialização em 2019.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vendas de carros caem, mas os de luxo estão a crescer. Portugueses compram mais “bombas”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião