Jorge Brito Pereira, Mário Silva e Paula Oliveira saem da Nos

  • ECO
  • 23 Janeiro 2020

A Nos anunciou em comunicado à CMVM que o chairman e outros dois administradores indicados por Isabel dos Santos estão de saída.

O chairman e dois outros administradores ligados à empresária angolana Isabel dos Santos estão de saída da Nos, segundo anunciou a empresa de telecomunicações, esta quinta-feira, em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“[A Nos] informa que os senhores Dr. Jorge de Brito Pereira, Dr. Mário Filipe Moreira Leite da Silva e Dra. Paula Cristina Neves Oliveira apresentaram hoje [quinta-feira], ao Conselho Fiscal, as respetivas renúncias aos cargos de membros não executivos do Conselho de Administração desta sociedade“, lê-se na nota em questão.

Os três administradores que agora apresentaram demissão aparecem implicados na investigação jornalística que deu conta que Isabel dos Santos terá desviado mais de 100 milhões de dólares da Sonangol para o Dubai. Estava agendada para a próxima segunda-feira uma reunião do conselho de ética da operadora de telecomunicações para ouvir as explicações dos três gestores por causa disto.

Jorge Brito Pereira foi responsável pela constituição da empresa offshore no Dubai e para a qual terão sido transferidos, em poucos meses, grandes quantias que pertenciam à Sonangol. Por sua vez, Mário Leite da Silva é considerado o “braço-direito” de Isabel dos Santos nos negócios suspeitos investigados pela imprensa. Em terceiro lugar, Paula Oliveira terá tido sob seu controlo a sociedade offshore designada de Matter Business Solutions no Dubai.

Na quarta-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) angolana fez constituir arguida não só Isabel dos Santos, mas dois dos nomes que agora deixam a Nos: Mário Leite da Silva e Paula Oliveira. Isto por alegada má gestão e desvio de fundos durante a passagem da empresária em causa pela petrolífera estatal Sonangol.

O caso Luanda Leaks já tinha feito, de resto, Brito Pereira deixar o cargo de presidente da mesa da assembleia geral do EuroBic; E Leite da Silva renunciar ao cargo de presidente do Conselho de Administração do Banco de Fomento Angola (BFA).

(Notícia atualizada às 18h04 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Jorge Brito Pereira, Mário Silva e Paula Oliveira saem da Nos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião