Daniel Reis abandona a PLMJ e integra equipa de sócios da DLA Piper ABBC

Daniel Reis é a mais recente perda da equipa de sócios da PLMJ. Os advogados Pedro Lomba e Jorge Silva Martins assumem uma nova área dedicada à tecnologia, mobilidade e comunicações.

A sociedade de advogados PLMJ perdeu um novo sócio, Daniel Reis, que integrava a firma desde 1999 e era sócio desde 2013. Em sua substituição o sócio Pedro Lomba e o associado coordenador Jorge Silva Martins assumem a nova área de tecnologia, mobilidade e comunicações.

Daniel Reis tem mais de 20 anos de experiência na assessoria a clientes em questões relacionadas com tecnologia, software, comunicações eletrónicas, media, comércio eletrónico, propriedade intelectual, direito do consumidor e publicidade. O advogado assume agora funções na DLA Piper ABBC, como sócio responsável pelo setor de tecnologia.

“Estamos muito contentes com a integração do Daniel. O Daniel é um dos maiores especialistas portugueses em tecnologia, que é dos setores estratégicos da DLA Piper globalmente, e vem naturalmente fortalecer a nossa capacidade e oferta neste setor em Portugal, e também em África e na América Latina onde a DLA Piper tem uma presença e oferta verdadeiramente única no mercado legal”, nota Nuno Azevedo Neves, managing partner da DLA Piper Portugal.

Já o novo reforço da DLA garante estar muito “entusiasmado” com a integração na DLA Piper. “A DLA Piper é uma sociedade global com uma capacidade impressionante no apoio a clientes, tanto em Portugal como globalmente, especialmente num setor tão desafiante como o da Tecnologia”, explica Daniel Reis.

“A equipa de Tecnologia, Mobilidade e Comunicações intervém num vasto conjunto de problemas, operações e setores ligados à sociedade da informação e economia digital, assessorando clientes nos domínios do Direito da Comunicação, Direito da Internet, Direito da Mobilidade, Direito da Tecnologia, Direito da Publicidade, Propriedade Intelectual e Industrial, Comércio Eletrónico, Privacidade e Proteção de Dados”, refere a PLMJ em comunicado sobre a nova área.

Pedro Lomba, que passa a ser o responsável da nova área da sociedade liderada por Luís Pais Antunes, é sócio da PLMJ e conta com mais de 17 anos de experiência profissional como advogado, árbitro e consultor. Tem prestado assessoria jurídica em setores regulados em fase de rápida digitalização e transformação tecnológica, como mobilidade e transportes, saúde e ciências da vida, incluindo substâncias controladas, e comércio eletrónico. O advogado foi ainda secretário de Estado nos XIX e XX Governos Constitucionais do Governo da coligação PSD e CDS/PP, liderado por Pedro Passos Coelho

Encarar este desafio como a continuidade natural de um trabalho que tenho vindo a fazer em especial nos setores das comunicações, mobilidade e transportes, digitalização do setor da saúde e regulação de novas tecnologias – e daí também a nossa aposta em imprimir uma nova orientação a esta área transversal de regulação pública e privada. Com o Jorge Silva Martins, vai ser possível potenciar experiência e conhecimento em áreas muito diversas, permitindo prestar aos nossos clientes um serviço mais completo e de maior qualidade”, nota Pedro Lomba.

Por outro lado, Jorge Silva Martins é associado coordenador da PLMJ e conta com 15 anos de experiência profissional, prestando assessoria jurídica regular a clientes nacionais e internacionais em matérias relacionadas com novas tecnologias (em particular blockchain e inteligência artificial), comunicações eletrónicas, telecomunicações, propriedade intelectual, direito da internet, comércio eletrónico e proteção de dados. É ainda um dos responsáveis da equipa de inovação da PLMJ e mentor em diversos programas de aceleração de startups. O advogado ocupa ainda o cargo de vice-presidente da ACEPI – Associação da Economia Digital e Vogal da Direção do ARBITRARE.

Saídas na PLMJ

Esta é mais uma saída no maior escritório português, que há cerca de um ano enfrentou um ataque informático e cujos algumas informações foram veiculadas no caso ‘Luanda Leaks’, divulgado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas.

Em setembro, a PLMJ perdeu João Medeiros, que era sócio coordenador da área de Criminal, Contraordenacional e Compliance e estava na escritório, onde foi estagiário, desde 1992. O advogado do Benfica transitou para a Vieira de Almeida, como um dos sócios responsáveis pela área de Contraordenacional e Penal.

As saídas começaram no final de 2018, com José Ricardo Gonçalves, de Direito Penal e de Direito Laboral, que deixou o escritório do Porto da PLMJ para trabalhar por conta própria.

Seguiram-se, nos primeiros meses de 2019, Tomás Pessanha – também do escritório do Porto, especialista em fusões e aquisições, e que levou consigo toda a equipa para a Garrigues– e Pedro Melo – que passou da PLMJ para a Miranda & Associados, onde integra a equipa de coordenação da área de Direito Público e Regulatório. Jorge Serrote, associado sénior também saiu, estando atualmente da DLA Piper. Tal como Pedro Barosa, que está na Abreu Advogados.

Em julho, três outros sócios deixaram a PLMJ. Manuel Santos Vítor, que estava na PLMJ desde 1989 e chegou a ser managing partner, estando agora na Abreu Advogados, onde já estava Nuno Cunha Barnabé, a segunda baixa na equipa de Direito Fiscal da PLMJ depois da saída de João Magalhães Ramalho, que está na Telles.

Mais recentemente, foi a vez da sócia Maria João Mata a sair do escritório, transitando para a Miranda. A advogada trabalha na área de Direito Societário e M&A (fusões e aquisições). A jurista estava na firma desde 1998, onde se especializou em operações de fusões e aquisições (M&A), nacionais e internacionais, de reestruturação societária e em acordos de joint venture.

(Notícia atualizada às 09h56, do dia 3 de fevereiro)

Comentários ({{ total }})

Daniel Reis abandona a PLMJ e integra equipa de sócios da DLA Piper ABBC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião