Nasceram menos bebés em Portugal. Foram 87 mil em 2019

Registaram-se menos nascimentos em 2019, face ao ano anterior. Número de óbitos diminuiu ligeiramente, mas o saldo natural mantém-se negativo.

Depois de um aumento em 2018, o número de nascimentos em Portugal voltou a encolher no ano passado. Em 2019, nasceram 87 mil crianças em território nacional, sendo que destas 86.557 são filhos de mães residentes. Assim, e mesmo com o número de óbitos a diminuir ligeiramente, o saldo natural foi negativo pelo 11.º ano consecutivo.

Em 2019 registaram-se em território nacional 87.000 nados-vivos e 112.253 óbitos. O número de nados-vivos de mães residentes em Portugal foi 86.557, menos 0,5% em relação a 2018“, revelam os dados preliminares das Estatísticas Vitais, divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com os dados do gabinete estatístico, setembro foi o mês onde nasceram mais bebés em Portugal com 8.054 crianças, ao passo que fevereiro foi o mês onde se registaram menos nascimentos (6.437).

A diminuição no número de nascimentos no ano passado marca um regresso à tendência dos últimos anos, contrariando o que se verificou em 2018. Nesse ano nasceram 87.020 crianças de mães residentes em Portugal, sendo que este valor corresponde a um aumento de 1% no número de nados-vivos no país (mais 866 crianças do que em 2017).

Além da quebra da taxa de natalidade, houve também uma redução da mortalidade. No que toca ao número de óbitos de residentes em Portugal, em 2019 foram registadas 111.757 mortes, menos 1,1% do que as registados em 2018 (113.051).

Ainda assim, o saldo natural da população, isto é, a diferença ente o número de nascimento e mortes mantêm-se negativo, caiu ligeiramente face a 2018. Segundo o INE, no ano passado o saldo natural atingiu os 25.200, quando comparados os 26.031 registados no ano anterior. A descida é justificada pelo facto de “a diminuição do número de óbitos ter sido superior à redução do número de nados-vivos”, aponta o gabinete.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nasceram menos bebés em Portugal. Foram 87 mil em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião