Menos carros diesel novos. 80% dos importados são a gasóleo

Está a cair a venda de automóveis novos a gasóleo, mas isso não quer dizer que haja nas estradas muito menos carros a diesel. Quatro em cada cinco veículos importados são diesel.

As vendas de veículos novos com motores a gasóleo caíram pela primeira vez. Tiveram um peso de 40% nas vendas totais, “perdendo para a gasolina e para as energias alternativas”, notou Hélder Pedro, secretário-geral da ACAP. Mas os números são bem diferentes quando se olha para os milhares de automóveis usados que chegam às estradas nacionais vindos de outros países. Entre esses, 80% recorrem a estes motores.

A ACAP revelou que, no ano passado, chegaram ao país 79.459 carros usados oriundos de outros países, nomeadamente da Europa. Este número representou 35,5% do total das vendas de veículos novos registadas em Portugal. Houve um aumento da importação destes automóveis, sendo que ao contrário dos novos, em que a gasolina foi “rainha”, nestes o diesel continua “rei”.

Lamentando que Portugal continue a ter “um grande peso” em termos de importação de usados — só equiparável ao registado nos países do leste europeu –, Hélder Pedro revelou dados que mostram que o gasóleo equipava 80% de todos estes veículos. Ou seja, quatro em cada cinco contam com motorizações diesel.

De acordo com os dados recolhidos pela ACAP, a maior parte dos veículos importados tinham, em média, 5,5, anos, sendo que apresentavam, em média, motorizações 1.6 diesel, havendo uma distribuição entre blocos dos 1.250 a 1.500 e dos 1.500 a 1.750 centímetros cúbicos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Menos carros diesel novos. 80% dos importados são a gasóleo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião