“Não há aeroportos sem impactos. Mas os pássaros não são estúpidos”, diz secretário de Estado

  • ECO
  • 18 Fevereiro 2020

O secretário de Estado Adjunto e das Comunicações defende o aeroporto no Montijo como a "opção de futuro" e desvaloriza críticas ao projeto.

“Não há aeroportos sem impactos”. A frase é de Alberto Souto de Miranda, secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, que, num artigo de opinião no Público (acesso condicionado) sobre o aeroporto do Montijo, continua dizendo que “os pássaros não são estúpidos e é provável que se adaptem”, numa referência aos riscos para as aves que habitam no local.

Alberto Souto de Miranda responde a críticas sobre o aeroporto do Montijo, que defende como a opção de “futuro”, e fala ainda sobre a ativista ambiental Greta Thunberg. O secretário de Estado diz que o projeto é “uma solução aeroportuária suficiente para os próximos 100 anos”, e sugere que “talvez a Greta, na longevidade, então banal, dos seus 117 anos, aterre no Montijo, muito mais sábia e ciente das capacidades do Homem para se transformar”, referindo-se à ativista de 17 anos.

O secretário de Estado defende que o “dever” atualmente é contribuir para a transição energética, apontando que “estigmatizar a mobilidade aeronáutica ou marítima é um erro infantil, é deitar fora o bebé com a água do banho, em vez de mudar apenas a água suja que importa substituir”.

O secretário de Estado dirige ainda críticas ao “Grupo de Alverca”, que defende a construção de um aeroporto nesse local, dizendo que “tem prestado um péssimo serviço ao país”. “Alverca não é opção. É uma obsessão”, reitera Souto de Miranda.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Não há aeroportos sem impactos. Mas os pássaros não são estúpidos”, diz secretário de Estado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião