Santander e MIT têm 2.500 bolsas de estudo em 14 países, incluindo Portugal

O banco Santander e o MIT Professional Education querem ajudar os jovens profissionais a reforçar competências no digital. As candidaturas estão abertas até 15 de março.

O banco Santander e o instituto MIT Professional Education têm disponíveis 2.500 bolsas de estudo para integrar cursos em transformação digital. As bolsas Santander for MIT Leading Digital Transformation foram pensadas para estudantes que se encontrem nos últimos dois anos de curso ou que estejam a frequentar um mestrado ou uma pós-graduação, e a profissionais que tenham terminado o curso nos últimos cinco anos. As inscrições estão abertas até 15 de março e podem ser submetidas no site oficial.

Numa primeira fase, os 2.500 selecionados vão receber formação sobre liderança e inovação, transformação digital, cibersegurança e inteligência artificial. O curso é dado em inglês e espanhol e dura cinco semanas, em aulas online e presenciais.

No segundo módulo só entram os 300 melhores, para uma formação de oito semanas sobre blockchain, cloud & DevOps e machine learning. Deste grupo, 30 jovens poderão participar num processo de seleção para realizar estágios profissionais e serem contratados pelo Santander.

“Relatórios da Comissão Europeia alertam para o gap digital entre as competências dos estudantes e o que o mercado laboral procura. No banco Santander queremos ajudar os universitários a melhorar a sua formação digital e a ter melhores condições para aproveitar as oportunidades de emprego”, salienta Javier López, diretor de impacto social do Santander Universidades. Segundo a OCDE, 35% dos empregados nos países membros da própria organização têm um posto de trabalho que não corresponde às suas qualificações.

“A falta de perfis tecnológicos na União Europeia e IberoAmérica está a impedir que sejam preenchidas milhares de vagas de emprego com formação digital. É nossa missão expandir o conhecimento e a experiência MIT para capacitar os profissionais a liderar os avanços que trará consigo a quarta revolução industrial”, sublinha Bhaskar Pant, diretor executivo do MIT Professional Education.

As candidaturas para as bolsas estão disponíveis para jovens profissionais da Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, EUA, Espanha, México, Peru, Polónia, Porto Rico, Reino Unido, Uruguai e Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Santander e MIT têm 2.500 bolsas de estudo em 14 países, incluindo Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião