Há mais gestores a abandonar empresas de Isabel dos Santos em Portugal

Depois das demissões no EuroBic, Nos e Efacec, há mais gestores a abandonarem empresas menos conhecidas de Isabel dos Santos em Portugal.

Vários nomes ligados a Isabel dos Santos já deixaram cargos em empresas onde a empresária angolana é acionista, como foram os casos de Mário Leite Silva da Nos e Efacec ou de Jorge Brito Pereira do EuroBic, na sequência da polémica em torno do Luanda Leaks. Mas há mais gestores que também abandonaram outras sociedades portuguesas menos conhecidas da filha do ex-Presidente de Angola.

Vasco Pires Rites, um dos nomes citados no Luanda Leaks e também no Malta Files (outra investigação do consórcio internacional de jornalistas), apresentou a demissão de gerente e administrador em três entidades de Isabel dos Santos: a Niara Power, YAKORetalho Alimentar e Creatambitions. Rites entregou o seu pedido de renúncia aos cargos nas três sociedades no dia 30 de janeiro no registo comercial, embora produzam efeitos a 3 de dezembro.

A Niara Power é uma construtora de centrais de produção elétrica, hídrica, térmica e de ciclo combinado, com sede na Zona Franca da Madeira. É detida pela Niara Holding, que controla a Efacec de forma indireta através da Winterfell Industries. Também a YAKO – Retalho Alimentar está registada na zona franca madeirense, dedicando-se à exploração de uma cadeia de supermercados. Quanto à Createambitions, é uma sociedade de importação, exportação e comércio grossista.

Além de Vasco Pires Rites, a Niara Power perdeu outro administrador nos últimos meses: Carlos Alberto de Freitas Teixeira, cuja renúncia deu entrada no registo comercial no dia 12 de fevereiro (com efeitos a 8 de novembro de 2019).

Há uma outra demissão recente: foi Maria Manuel Sanches Guimarães, que deixou a Supreme Treasure no dia 7 de fevereiro. A Supreme Treasure é uma sociedade do ramo imobiliário que exerce atividade na exploração de museus, monumentos, edifícios e outros sítios históricos.

O ECO contactou Isabel dos Santos através da assessoria de imprensa, mas não obteve uma resposta até à publicação do artigo.

De acordo com a investigação do Luanda Leaks, que começou a ser divulgada por vários jornais internacionais no dia 19 de janeiro (embora os primeiros contactos tenham acontecido no final de 2019), Niara Power, YAKO – Retalho Alimentar, Creatambitions e Supreme Treasure fazem parte do universo de 22 empresas que Isabel dos Santos detém em Portugal.

Após as revelações, Isabel dos Santos anunciou a venda de várias participações em sociedades portuguesas, como a Efacec e o EuroBic.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há mais gestores a abandonar empresas de Isabel dos Santos em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião