PS quer ouvir presidente do Novo Banco no Parlamento

  • Lusa
  • 28 Fevereiro 2020

Depois de António Ramalho se ter mostrado disponível para explicar os resultados financeiros do Novo Banco, o PS pede uma audição, no Parlamento, do presidente da instituição.

O PS pediu esta sexta-feira a audição, no Parlamento, do presidente do Novo Banco para explicar os resultados da instituição, que registou prejuízos de 1.058,8 milhões de euros em 2019, uma diminuição face ao ano anterior.

Este pedido de audição, na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, aconteceu no mesmo dia em que o banco apresentou resultados e três dias depois de o presidente do Novo Banco se ter disponibilizado, por carta, para dar explicações aos deputados.

Segundo António Ramalho, a divulgação das contas de 2019 são “um marco importante no processo de reestruturação encetado em 2017, dado ser o fim de um período em que o Novo Banco tinha de cumprir um conjunto alargado de compromissos que constam do acordo assinado entre o Estado Português e a União Europeia, por altura da sua operação de venda, o que dá a essa divulgação uma relevância especial”, de acordo com o texto da carta, citado pelo PS.

Segundo o texto do requerimento do PS, a “atividade recorrente do banco está a dar lucro, tendo apresentado um resultado líquido positivo de cerca de 177 milhões de euros, estando daqui excluídos os efeitos das imparidades relacionadas com o Banco Espírito Santo”.

Dessa forma, confirmam-se “as expectativas de ser necessário um novo recurso ao mecanismo de capital contingente, iniciado em 2017, no valor de 1.037 milhões de euros“, valor adiantado na comissão de Orçamento, na quarta-feira, pelo presidente do Fundo de Resolução, Luís Máximo dos Santos.

Os socialistas alegam ainda que “a atividade recorrente do banco está a dar lucro”, com “um resultado líquido positivo de cerca de 177 milhões de euros”, de que se excluem “os efeitos das imparidades relacionadas com o Banco Espírito Santo”, e sublinham que os prejuízos dos últimos anos “estão diretamente relacionados com os ativos tóxicos que transitaram para o seu balanço”.

O Novo Banco registou prejuízos de 1.058,8 milhões de euros em 2019, uma diminuição face aos 1.412,6 milhões de euros verificados em 2018, divulgou esta sexta-feira a instituição liderada por António Ramalho.

De acordo com um comunicado enviado hoje à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição que sucedeu ao Banco Espírito Santo (BES) teve uma perda de 1.236,4 milhões de euros na atividade de legado e um ganho de 177,6 milhões de euros em 2019.

Com as perdas de 2019 conhecidas esta sexta-feira, desde agosto de 2014, quando foi criado para ficar com parte da atividade bancária do BES, o Novo Banco já acumula prejuízos de 7.036,3 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

PS quer ouvir presidente do Novo Banco no Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião