5 coisas que vão marcar o dia

O coronavírus continua a ganhar terreno, mas os holofotes incidirão sobre as suspeitas de viciação e alegadas irregularidades na relação de Lisboa. Nos EUA, é "Super Terça-Feira".

O coronavírus continua a marcar os dias e Portugal já está no mapa. Mas, para além do surto, os holofotes irão incidir sobre a mais recente polémica na justiça portuguesa: as suspeitas de viciação na distribuição de processos na Relação de Lisboa, esperando-se uma reação da parte do líder do Supremo Tribunal de Justiça e do Presidente da República. Conheça estes e outros temas em destaque esta terça-feira.

STJ reagem às irregularidades na Relação

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça, António Joaquim Piçarra, dá uma conferência de imprensa às 17h00 para falar dos casos que têm afetado a justiça portuguesa nas últimas semanas. Em foco estarão, sobretudo, as suspeitas de viciação e alegadas irregularidades na distribuição de processos que envolvem o presidente demissionário do Tribunal da Relação de Lisboa, Orlando Nascimento, expostas numa auditoria feita pelo Conselho Superior de Magistratura. Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, já prometeu que também reagirá ao caso logo de seguida.

É “Super Terça-Feira” nos EUA

A corrida às presidenciais nos EUA entra numa fase crítica, nesta que é conhecida por “Super Terça-Feira”. 14 estados realizam hoje as primárias, numa altura em que o Partido Democrata escolhe quem irá concorrer contra Donald Trump nas eleições para a Casa Branca, marcadas para 3 de novembro. Um total de 1.357 delegados irão ser distribuídos pelos vários candidatos, havendo apenas cinco nomes na corrida: Bernie Sanders, Joseph Biden, Michael Bloomberg, Elizabeth Warren e Tulsi Gabbard.

Coronavírus mantém bolsas sob tensão

No rescaldo da confirmação dos primeiros casos de Covid-19 em Portugal, a epidemia deverá continuar a ganhar terreno, esperando-se mais um dia de alta volatilidade nos mercados financeiros mundiais. Depois de registarem a pior semana desde a crise financeira de 2008, as bolsas arrancaram mais uma semana de agitação. Esta segunda-feira, os principais índices mundiais alternaram entre ganhos robustos e perdas expressivas, um fenómeno que reflete a forte incerteza dos investidores quanto ao impacto que o surto pode vir a ter na economia mundial.

Eurostat atualiza estatísticas do emprego

O Eurostat atualiza os dados do mercado laboral europeu. Concretamente, o gabinete oficial de estatística da UE publicará as taxas de desemprego dos vários Estados-membros relativa a janeiro de 2020, bem como a média da UE e da Zona Euro. Este conjunto de informação permitirá avaliar como evoluiu o mercado laboral português face aos pares europeus, depois de o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter revelado que a taxa de desemprego em Portugal em janeiro registou uma subida homóloga de 0,3 pontos percentuais, fixando-se em 6,9%.

Fesap anuncia novas formas de luta

Depois da Frente Comum ter marcado uma nova greve para 20 de março, a Fesap vai também anunciar “formas de protesto e de luta” já para este mês. Esta é mais uma resposta dos sindicatos da Função Pública aos aumentos de 10 euros para salários mais baixos, e de 0,3% para os demais, que foram propostos pelo Governo e que são considerados “ofensivos” pelos representantes dos trabalhadores.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião