TAP cancela mil voos. Coronavírus está a causar “quebras significativas” nas reservas

  • ECO
  • 5 Março 2020

Companhia aérea anunciou o cancelamento de voos com menor procura entre março e abril. Para "proteger a integridade da sua tesouraria" suspendeu também investimentos e contratações.

A companhia aérea TAP anunciou o cancelamento de mil voos entre março e abril devido à quebra no volume de reservas. Em causa estão os voos de menor procura, cuja frequência será reduzida por causa do coronavírus. O vírus já infetou mais de 95.000 pessoas (incluindo nove em Portugal), sendo que 3.254 morreram.

“O volume de reservas para março e abril mostra, desde as últimas duas semanas, quebras significativas relativamente ao ano passado”, refere o comunicado. Este forte abrandamento da procura faz com que a TAP tenha procedido ao cancelamento imediato de voos com menor procura, reduzindo a capacidade em 4% em março e 6% em abril, o que representa um total de cerca de 1.000 voos”, explicou a transportadora.

A empresa liderada por Antonoaldo Neves acionou o plano de contingência que leva ao cancelamento de voos com menor procura. Irão incidir especialmente na operação para cidades nas regiões mais afetadas, como Itália, mas também Espanha ou França. São abrangidos ainda alguns voos intercontinentais, “dado o modelo de operação da TAP, como companhia de longo curso e conexão”.

A TAP acrescentou, no mesmo comunicado, que irá contactar os passageiros afetados para, “em conjunto com eles” encontrar as melhores opções e alternativas para a realização das mesmas viagens.

Corte de custos, suspensão de contratações e licenças sem vencimento

Além dos cancelamentos, a companhia aérea está a também a tomar outras medidas de ajustamento ao impacto do surto nas receitas da empresa, incluindo suspensão de investimentos não urgentes, corte de custos e suspensão de novas contratações.

“A quebra na procura implica naturalmente um decréscimo da receita, pelo que, para proteger a integridade da sua tesouraria, a TAP tomou já algumas decisões fundamentais, como a suspensão de todos os investimentos não críticos, a revisão e corte de despesas não essenciais para o negócio ou a suspensão de contratações e novas admissões, para além da adequação da oferta à procura”, acrescenta o comunicado.

Em simultâneo, a TAP enviou aos trabalhadores uma nota, a que a Lusa teve acesso, em que fala ainda da “implementação de programas de licenças sem vencimento temporárias”, bem como da “renegociação de contratos e prazos de pagamento” e da “antecipação de crédito junto de fornecedores”.

Celebração do aniversário em standby

Ao mesmo tempo que anunciou medidas para enfrentar o vírus, a empresa decidiu colocar em standby alguns eventos, nomeadamente aquele que celebrava o 75.º aniversário da companhia.

“Considerando a evolução mundial do surto do Coronavírus Covid-19 e ponderando as recomendações e medidas preventivas difundidas por organizações internacionais e pela DGS sobre a realização de grandes eventos agregadores de pessoas, informamos que vamos adiar o jantar de comemoração do 75.º aniversário da TAP, agendado para o dia 16 de março para nova data a comunicar durante este ano”, refere a empresa.

“Tal como nestes últimos 75 anos, a TAP continua focada na sua operação regular, garantindo a segurança dos colaboradores e passageiros e a normalidade do seu serviço ao cliente”, acrescenta, salientando que irá avançar, a seu tempo, com uma nova data para a celebração.

(Notícia atualizada pela última vez às 17h40 com o adiamento da celebração do aniversário da TAP)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TAP cancela mil voos. Coronavírus está a causar “quebras significativas” nas reservas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião