Autarca de Penamacor contrata empreiteiro para obra acabada

  • ECO
  • 9 Março 2020

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor contratou uma empresa com ligações familiares a ex-vereadora e atual chefe de gabinete. Em causa, uma obra que tinha sido finalizada há três anos.

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor, António Breites (PS), terá adjudicado uma obra em 2018, três anos depois de a mesma ter sido acabada. A notícia foi avançada pelo Público (acesso condicionado), que refere que a empresa contratada, por um total de 148,9 mil euros, pertence à família de uma vereadora que, meses antes, tinha renunciado ao mandato por ter sido judicialmente confrontada com a ilegalidade de outras adjudicações municipais a familiares.

A obra em causa foi a pavimentação do acesso à Reserva Natural da Serra da Malcata, uma obra feita no início de 2015 e cuja conclusão chegou a fazer parte do Boletim Municipal do primeiro semestre desse ano. Segundo o Público, só em março de 2018 é que foi publicado um contrato para adjudicação da obra, por ajuste direto, assinado pelo socialista, tendo inclusivamente assinado um despacho para nomear dois técnicos do município para fiscalizarem a empreitada.

A empresa contratada, António J. Cruchinho & Filhos, pertence aos pais e irmãos da vereadora demissionária Ilídia Cruchinho. Ora, em janeiro de 2018, a empresa e o presidente da Câmara tinham visto o Tribunal de Contas chumbar um outro contrato, de 589 mil euros, precisamente pelas ligações familiares do empreiteiro à então vereadora, que já tinha feito dezenas de contratos com essa empresa desde 2001, o que a levou a renunciar ao cargo. Desde então, é chefe de gabinete do presidente.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autarca de Penamacor contrata empreiteiro para obra acabada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião