Autarca de Paços de Ferreira anuncia a primeira morte no concelho. Vítimas mortais do coronavírus sobem para 5

Há oficialmente três mortes confirmadas com coronavírus, mas os autarcas de Ovar e Paços de Ferreira já anunciaram mais duas. Aumenta, assim, para cinco o número de vítimas mortais.

O número oficial de mortes confirmadas por coronavírus está em três, mas já dois concelhos se anteciparam à atualização diária da Direção-Geral da Saúde (DGS) e anunciaram mais duas vítimas mortais. Horas depois da autarquia de Ovar, foi a vez da autarquia de Paços de Ferreira.

Esta sexta-feira, o presidente da Câmara de Paços de Ferreira anunciou no Facebook que o concelho regista a primeira morte. “Com quatro registos positivos, faleceu ontem à noite no nosso concelho a primeira pessoa com diagnóstico de Covid-19. Expresso os meus sentimentos à família enlutada”, escreveu o autarca.

Ao ECO, uma fonte da Câmara de Paços de Ferreira adiantou que se trata de um homem de 64 anos, desconhecendo-se mais informações, inclusive sobre a freguesia onde morava. A mesma fonte explicou que esta manhã o autarca foi informado pelas autoridades de saúde de que faleceu uma pessoa oriunda de Paços de Ferreira.

Esta quinta-feira à tarde, o presidente da Câmara de Ovar também um anúncio semelhante. Foi através do Facebook que Salvador Malheiro deu a notícia. “É a primeira vítima em Ovar. Tive essa confirmação por parte da delegada de saúde”, disse o autarca, momentos depois, em declarações à RTP3. Ainda segundo o mesmo, a vítima era uma senhora entre os 80 e 90 anos e estava internada no Hospital de São Sebastião.

Com estes dois anúncios, aumenta, assim, para cinco o número de vítimas mortais com coronavírus no país. Até ao momento registavam-se três casos, dois na zona de Lisboa e um no centro do país.

Desde que apareceu, em meados de dezembro, o coronavírus já infetou mais de 245.000 pessoas em todo o mundo e o número de mortos ultrapassa já os 10 mil. Em Portugal contavam-se, esta quinta-feira, 785 casos confirmados, um número que deverá aumentar esta sexta-feira. Declarado como uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no início deste mês, o vírus já se espalhou para mais de 170 países e territórios pelo globo.

(Notícia atualizada às 10h54 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autarca de Paços de Ferreira anuncia a primeira morte no concelho. Vítimas mortais do coronavírus sobem para 5

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião