Hoje nas notícias: Universidades, testes e comissões

  • ECO
  • 2 Abril 2020

Universidades a ajudar Portugal a ser auto-suficiente em testes a Covid-19, recuperados a sair do isolamento sem testes, possível adiar do acesso às universidades e bónus do BCP em destaque.

A pandemia volta a inundar as primeiras páginas da imprensa portuguesa nesta quinta-feira. Destaque para as notícias que dão conta que as universidades vão tornar Portugal quase auto-suficiente em testes a Covid-19, mas também que há recuperados que estão a sair do isolamento sem fazer testes. Em termos de impactos da pandemia, nota para a possibilidade de o acesso ao ensino superior pode ser adiado para setembro ou outubro, enquanto o BCP ainda vai decidir se distribui ou não bónus aos seus gestores. Fora da esfera do Covid-19, destaque para as comissões de 83 milhões pagas pelos clubes de futebol portugueses.

Acesso ao ensino superior pode ser adiado para setembro ou outubro

Com o país em plena crise pandémica e, consequentemente, com as escolas fechadas antes do final do 2º período, bem como, a perspetiva de não abrirem após as férias da Páscoa, pais e professores consideram que a solução mais viável poderá ser o adiamento do acesso ao ensino superior para o início do ano letivo. A Federação Nacional dos Professores admite a possibilidade de o Governo “encontrar um regime excecional”, o que poderá significar não serem realizados os habituais exames nacionais. Outra das alternativas seria “recalendarizar” os exames para que se “possam realizar no próximo ano letivo, no final de setembro ou mesmo em outubro”. Leia a notícia na rádio Renascença (acesso livre).

Pandemia põe em risco bónus dos gestores do BCP

Depois de ter decidido cancelar a distribuição dos dividendos por causa da pandemia do Covid-19, o BCP terá agora de avaliar se vai pagar este ano novamente bónus aos seus gestores executivos. A questão poderá ser abordada na próxima assembleia-geral, que se deverá realizar em maio, sendo que o banco diz que “o Conselho de Remunerações e Previdência tomará em consideração na sua apreciação o enquadramento desafiante que representa a covid-19”. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Universidades vão tornar Portugal quase auto-suficiente em testes a Covid-19

Portugal quer apostar nos testes de despiste do Covid-19 e para isso várias universidades do país estão a fazer investigação. No Porto, produz-se líquido para transporte de zaragatoas. Ao mesmo tempo, a universidade de Évora quer colocar a inteligência artificial ao serviço da linha de saúde 24, responsável por fazer a triagem dos doentes. “Não substitui os profissionais de saúde, mas reduz o tempo de espera”, aponta Paulo Quaresma, coordenador do projeto. Leia a notícia completa no I (link indisponível).

Recuperados estão a sair do isolamento sem fazer testes

A falta de análises está a obrigar médicos a darem alta às vítimas do contágio do Covid-19 após 15 dias em que estas se encontrem assintomáticas, sendo que o vírus pode demorar um mês a desaparecer dos respetivos organismos. Desde que a pandemia começou a afetar os portugueses, foi dada conta de 43 pessoas consideradas como recuperadas, segundo os dados mais recentes da Direção-Geral de Saúde. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (link indisponível).

Clubes pagam 83 milhões de euros em comissões

Os clubes portugueses pagaram 83 milhões de euros comissões a intermediários nas contratações e renovações de contratos com futebolistas, masculinos e femininos, entre 1 de abril de 2019 e 31 de março de 2020. Os dados constam de um relatório publicado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) no seu site oficial e revelam um um acréscimo de 21 milhões de euros em relação ao ano anterior. A SAD do Benfica continua a ser a que mais paga: 34,2 milhões de euros no último ano. Leia a notícia completa no Correio da Manhã (link indisponível).

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Universidades, testes e comissões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião