Já há mais de 360 mil no desemprego. Aumentou 40 mil este mês

O número de desempregados já ultrapassou os 361 mil em resultado da pandemia de coronavírus. Processos de despedimento coletivo também estão a disparar.

A pandemia de coronavírus colocou um travão à tendência de melhoria do mercado de trabalho em Portugal, levando mesmo a uma inversão dessa trajetória. Só nos primeiros 16 dias de abril, o total de desemprego registado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) subiu em mais de 40 mil pessoas para 361.669.

Estes dados são do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e comparam com os 321 mil desempregados registados no final de março. Nos mesmos 16 dias, contabilizaram-se, além disso, quase 32 mil pedidos de subsídio de desemprego, não sendo adiantado quantas prestações deste total foram efetivamente aprovadas.

Para evitar um disparo significativo do desemprego face à crise pandémica, o Governo avançou com uma série de medidas para apoiar as empresas e preservar os postos de trabalho. Uma delas foi o lay-off simplificado que permite aos empregadores mais afetados pelo surto de Covid-19 suspender contratos ou diminuir a carga horária, mantendo pelo menos dois terços dos salários dos trabalhadores. Esse valor é pago, de resto, em 70% pela Segurança Social e em 30% pelo próprio patrão, aliviando o peso das remunerações nas contas das empresas.

Segundo os dados do GEP, até ao momento mais de 82 mil empresas já aderiram a este regime, o que abrange um universo potencial de um milhão de 53 mil trabalhadores.

No que diz respeito aos processos de despedimento coletivo, nos primeiros 16 dias de abril já foram iniciados 86, o que abrange 715 trabalhadores. No mesmo período do mês passado (isto é, entre dia 1 e dia 16), tinham sido iniciados apenas 14 processos, abrangendo 72 pessoas. No final de março, o número de processos começou, contudo, a subir de forma expressiva, tendo atingido 57 no total do mês. Em causa estiveram 786 trabalhadores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Já há mais de 360 mil no desemprego. Aumentou 40 mil este mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião