Presidentes do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da TAP chamados ao Parlamento

  • Lusa
  • 3 Junho 2020

Os deputados da comissão de Economia chamaram ao Parlamento o presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, e o presidente da Comissão Executiva, Antonoaldo Neves.

Os deputados da comissão de Economia decidiram chamar ao Parlamento o presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, e o presidente da Comissão Executiva, Antonoaldo Neves, para uma audição em data a agendar.

Em causa está um requerimento do PS para audição do presidente do Conselho de Administração da TAP e do presidente da Comissão Executiva e um requerimento do PSD para audição da Comissão Executiva. Em declarações à Lusa, o vice-presidente da comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, Pedro Coimbra, indicou hoje que os dois requerimentos foram aprovados, na reunião de terça-feira, “por unanimidade”. No entanto, ainda não ficou agendada uma data para as duas audições.

Em 22 de maio, o Conselho de Administração da TAP decidiu voltar a prolongar o período de lay-off dos trabalhadores até final de junho, justificando com as restrições à mobilidade e a operação reduzida prevista para junho. A TAP recorreu a 2 de abril ao lay-off simplificado, disponibilizado pelo Governo como uma das medidas de apoio às empresas que sofrem os efeitos da pandemia, tendo-o posteriormente prolongado até 31 de maio.

A companhia está numa situação financeira agravada desde o início da crise provocada pela pandemia, com a operação paralisada quase na totalidade, sendo debatida uma intervenção do Estado na empresa.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia já provocou mais de 380 mil mortos e infetou quase 6,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,7 milhões de doentes foram considerados curados. Portugal contabiliza pelo menos 1.447 mortos associados ao coronavírus em 33.261 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado hoje.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Presidentes do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da TAP chamados ao Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião