LUGGit lança plataforma para apoiar setor hoteleiro

App que permite aos turistas visitarem Lisboa e o Porto sem carregarem a bagagem lança plataforma dedicada ao setor hoteleiro. Quer ajudar a fazer frente aos efeitos da pandemia.

A LUGGit lança esta terça-feira uma plataforma web a pensar no setor hoteleiro e na resposta aos efeitos da Covid-19. A startup, que desenvolveu uma app que permite aos turistas visitarem as cidades de Lisboa e do Porto sem terem de carregar as suas bagagens, diversifica assim a oferta disponível.

A nova plataforma permite a cada hotel oferecer, de forma integrada, o serviço de recolha e entrega de bagagens aos seus hóspedes, informa a LUGGit em comunicado.

“Em plena pandemia, percebemos não só a importância de inovar como também de garantir a segurança de todos os intervenientes. Por isso, a partir de hoje, os hotéis podem automatizar os seus processos, proporcionar melhores experiências e garantir, sempre, a segurança sanitária segundo as regras impostas pelas entidades competentes”, sublinha Ricardo Figueiredo, CEO e cofundador da LUGGit.

A nova plataforma permite também que os hotéis otimizem os processos de check-in e check-out, “evitando aglomerações de hóspedes em espaços comuns e encontrando uma alternativa segura para as inúmeras solicitações de guardar as bagagens”.

Lançada em julho de 2019, em Lisboa e, no Porto, em outubro do mesmo ano, a LUGGit tem registado um aumento na base de utilizadores e, em novembro, captou uma ronda de investimento de 400 mil euros liderada pela Portugal Ventures.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

LUGGit lança plataforma para apoiar setor hoteleiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião