Talkdesk capta 123,4 milhões de euros em série C. Passa a valer três mil milhões

Com esta ronda, startup fundada por portugueses eleva a avaliação para três mil milhões de dólares.

A Talkdesk acaba de fechar uma ronda de financiamento série C no valor de 123,4 milhões de euros (143 milhões de dólares), anunciou a empresa em comunicado. Com esta ronda de investimento, a startup fundada pelos portugueses Tiago Paiva e Cristina Fonseca aumenta a sua avaliação para três mil milhões de dólares.

Fundada em 2011, a empresa de software na cloud para contact centers fechou nova ronda com a participação da Franklin Templeton, Willoughby Capital, Skip Capital, Lead Edge Capital e Top Tier Capital Partners como novos investidores, em conjunto com os já existentes Viking Global Investors e a Threshold Ventures.

Desde a sua fundação, a Talkdesk levantou 268 milhões de dólares em rondas de financiamento. A nova ronda surge na sequência dos últimos doze meses de crescimento e desenvolvimento de produto a nível mundial: durante esse período, a Talkdesk anunciou mais de 600 soluções, entre as quais o “Talkdesk 20-in-20”, um programa que levou ao lançamento de 20 novos produtos nas primeiras 20 semanas de 2020.

Com esta ronda, a Talkdesk quer “capitalizar o seu posicionamento atual e dar continuidade ao crescimento a nível global” e “aumentar a aposta em I&D e apostar em abordagens ao mercado, vendas, marketing e desenvolvimento de canais, à medida que expande a sua operação”.

“Nunca foi tão importante fornecer uma experiência única ao cliente e este financiamento é um reflexo do quão crítica é esta necessidade, à medida que as marcas procuram crescer no contexto atual”, refere Tiago Paiva, CEO e cofundador da Talkdesk, citado em comunicado.

Com mais de 1.800 clientes em 75 países, o terceiro unicórnio com ADN português tem na carteira de clientes nomes como a IBM, Trivago ou Peloton.

Em atualização.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Talkdesk capta 123,4 milhões de euros em série C. Passa a valer três mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião