Continente elimina 35 milhões de palhinhas de plástico em leites e sumos de marca própria

Assumiu também o compromisso de antecipar em cinco anos, para 2025, a ambição da União Europeia de reduzir (ou eliminar, quando possível) a utilização de materiais de plástico de origem fóssil.

Com a proibição europeia do uso de plástico de uso único a aproximar-se, já a partir de 2021, o Continente anunciou agora que até ao final deste ano vai substituir todas as palhinhas dos pacotes individuais de leite, sumos, néctares e iced teas de marca própria por versões iguais recicláveis em papel. Com esta medida vai ser possível evitar a produção de 35 milhões de palhinhas de plástico por ano.

As novas embalagens com palhinhas de papel já começaram a chegar às lojas Continente e incluem uma nova iconografia de reciclagem desenvolvida em parceria com a Sociedade Ponto Verde para os produtos Continente. Para facilitar o processo, depois de utilizada a palhinha deve ser inserida dentro do pacote de leite ou sumo. Apesar de ser de papel, a marca recomenda-se a reciclagem conjunta, no Ecoponto amarelo, para que a palhinha (de menor dimensão) também seja triada nos centros de tratamento de resíduos e corretamente reciclada.

Para Ana Alves, Diretora de Marca Própria da Sonae MC, “acelerar a transição para uma economia circular só é possível com o envolvimento de todos. Queremos contribuir ao máximo para este processo de substituição do plástico desnecessário nos produtos de marca Continente e contamos com os nossos consumidores para garantirem que, depois de usadas, as embalagens têm o destino certo e que lhes permite ganhar uma nova vida”.

Além da erradicação das palhinhas de plástico, o Continente assumiu o compromisso de antecipar em cinco anos, para 2025, a ambição da União Europeia de reduzir (ou mesmo eliminar quando possível) a utilização de materiais de plástico de origem fóssil até 2030. E pretende fazê-lo nos produtos de marca própria, assegurando que todos eles têm embalagens reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis.

Esta medida soma-se às já desenvolvidas no âmbito da Estratégia para o Uso Responsável de Plásticos, que permitiu ao Continente alcançar um nível de poupança de 4,2 mil toneladas por ano de plástico virgem. Este valor representa um crescimento de 90% em relação às 2,2 mil toneladas/ano anunciadas em abril do ano passado.

Além das toneladas de plástico virgem eliminadas (entre eliminação de plástico considerado desnecessário e substituição de material virgem por reciclado), a marca substituiu 50 toneladas de plástico com baixa reciclabilidade (como o PVC) por outros materiais mais fáceis de reciclar (como o PET) dos seus produtos.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Continente elimina 35 milhões de palhinhas de plástico em leites e sumos de marca própria

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião