ECO p+sitivo: No Porto pensa-se futuro mesmo em tempos Covid-19

"The State of Presence Report" é uma projeto da ThePowerHouse, a empresa que escolheu o Porto para reinventar, através da tecnologia, a indústria têxtil nacional. E não parou, nem durante a Pandemia.

Livia Pinent é Head of Research na ThePowerHouse, a empresa fundada pela alemã Lisa Lang, empreendedora europeia, que fixou a sua empresa no Porto onde encontrou uma indústria têxtil com história, com qualidade e que quer ajudar a inovar.

Em entrevista, a investigadora fala-nos do novo relatório “The State of Presence Report”, um trabalho que foi feito a partir de casa, ainda que ligadas ao mundo, não fossem elas mulheres da tecnologia.

De certa forma, foram precisamente os dias de confinamento e o acelerar de alterações nas nossas vidas, que levaram a ThePowerHouse a avançar com este novo projeto, que só será lançado em setembro, durante o Ars Electronica, festival de arte e tecnologia em Linz, Áustria que desde 1979 celebra artistas, cientistas, programadores, designers, empreendedores e ativistas.

Na sua primeira edição virtual, o festival espalhou-se pelo mundo através de uma série de eventos regionais, e chega a Portugal através da FNDMT (empresa irmã da ThePowerHouse). Ars Electronica Porto Garden by FNDMT acontece de 9 a 13 de setembro, e vai contar com mesas redondas e debates com os makers do Porto, a comunidade criativa e tecnológica.

Nesta entrevista Livia Pinent antecipa algumas das conclusões do relatório.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

ECO p+sitivo: No Porto pensa-se futuro mesmo em tempos Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião