Hoje é o último dia para subscrever ações do aumento de capital da EDP

O prazo de subscrição das novas ações que resultam do aumento de capital da EDP termina esta quinta-feira. Acionistas de referência da elétrica já exerceram os direitos que lhes foram atribuídos.

Depois de terminado o período de negociação dos direitos ao aumento de capital da EDP, chega a última oportunidade para quem pretenda participar na operação. Esta quinta-feira termina o prazo para a subscrição das novas ações da empresa liderada por Miguel Stilwell que se irão juntar aos restantes títulos da EDP na bolsa nacional dentro de pouco mais de uma semana.

Foi no passado dia 23 de julho que arrancou oficialmente o aumento de capital da EDP, operação para a qual a elétrica traçou como objetivo angariar 1.020 milhões de euros com vista a usar, pelo menos em parte, para financiar a compra da espanhola Viesgo.

Para poder levar a cabo esta operação, a EDP avançou com uma oferta pública de subscrição deste montante correspondente à emissão de mais de 309 milhões de novas ações. A EDP definiu o preço de venda das novas ações no aumento de capital nos 3,30 euros. Por cada ação detida foi dado aos acionistas da elétrica um direito, sendo necessário deter 11,75 desses direitos para ter acesso a uma dessas novas ações.

Quem não pretendeu exercer esses direitos pôde vendê-los no mercado, dando assim a possibilidade a outros de poderem ficar com as novas ações resultantes deste aumento de capital. O período de negociação desses direitos terminou na passada segunda-feira, tendo sido dados mais três dias para que estes pudessem ser convertidos em novas ações, ou seja, até esta quinta-feira.

Entretanto, vários acionistas de referência da EDP já exerceram os direitos que lhes couberam. O exemplo mais recente foi o da China Three Gorges que anunciou ao mercado, esta quarta-feira, que subscreveu cerca de 66,8 milhões de novas ações, desembolsando perto de 220 milhões de euros, evitando assim como maior acionista a diluição da sua posição na elétrica. No dia anterior, tinha acontecido o mesmo com o segundo acionista de maior peso na EDP. Os espanhóis da Oppidum Capital investiram 73,8 milhões de euros em mais de 22 milhões novos títulos.

Noutra nota divulgada ao final do dia de terça-feira, o presidente executivo suspenso da elétrica, António Mexia, também assumiu a título particular a aquisição de 8 mil novas ações. Antes disso, o atual CEO interino da EDP — Miguel Stilwell — decidiu também exercer os seus direitos, ficando com quase 12 mil novas ações.

Quem ainda não fez o mesmo, mas também pretende exercer os direitos que lhe foram atribuídos ou adquiridos no mercado, apenas dispõe do dia de hoje para o fazer.

Na sexta-feira será a vez de ser divulgado o resultado deste aumento de capital, sendo que as novas ações serão depois admitidas à negociação na Euronext Lisboa, juntando-se aos mais de 3,6 mil milhões de títulos atualmente cotados na bolsa nacional. Tal acontecerá no dia 17 de agosto, ou seja, dentro de pouco mais de uma semana.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje é o último dia para subscrever ações do aumento de capital da EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião