EDP e EDP Renováveis afundam mais de 4%. Lisboa tem pior sessão em três meses

EDP e EDP Renováveis tiveram quedas superiores a 4% e penalizaram a bolsa portuguesa. PSI-20 caiu 1,75% na pior sessão desde 11 de junho.

EDP e EDP Renováveis afundaram mais de 4% e levaram a bolsa portuguesa à pior sessão em quase três meses. Europa também fechou em baixa. Wall Street continua muito pressionada pelo setor tecnológico, com o Nasdaq a recuar 4%.

Por cá, o principal índice português, o PSI-20, encerrou com uma queda de 1,75% para 4.248,32 pontos. Foi o pior desempenho diário desde 11 de junho, há quase três meses, dia em que cedeu quase 3%.

Apenas quatro cotadas tiveram direito a sorrir esta sexta-feira, com o BCP a liderar os ganhos: o banco somou 1,29% para 9,45 cêntimos, no dia em que o setor financeiro espanhol esteve em grande destaque. CaixaBank e Bankia anunciaram que estão em negociações para uma fusão que poderá criar o próximo campeão espanhol da banca. As ações do Bankia aceleraram 33%. Também o setor do papel nacional fechou acima da linha de água.

Porém, foram mais as cotadas nacionais com sinal negativo, com a EDP e a EDP Renováveis em pleno destaque. A primeira cedeu 5,44% e a segunda caiu 4,19%.

A EDP anunciou esta quinta-feira que o lucro caiu 22% no primeiro semestre do ano, com a pandemia a pesar nas contas do grupo. O resultado líquido situou-se em 315 milhões de euros, sendo que a operação em Portugal teve um prejuízo de 32 milhões de euros. E EDP Renováveis também reportou uma baixa de 26% do seu lucro semestral, para 226 milhões.

Lá por fora, o índice de referência europeu, o Stoxx 600, caiu 1,30%. Outras importantes praças europeus acompanharam: o francês CAC-40 caiu 0,89% e o alemão DAX-30 fechou em baixa de 1,96%. O espanhol IBEX-35 caiu 1,68%.

(Notícia atualizada às 16h51)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP e EDP Renováveis afundam mais de 4%. Lisboa tem pior sessão em três meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião